Cotidiano

BID libera US$ 56 milhões para revitalização do centro

  Bernal e Marquinhos discutiram projeto nesta segunda-feira

Midiamax Publicado em 21/11/2016, às 19h47

None
14dejulho_proj._basico.imagem01.jpg

Bernal e Marquinhos discutiram projeto nesta segunda-feira

O projeto de revitalização do centro – dependente do empréstimo do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) -, deverá sair do papel no primeiro semestre de 2017. É o que prometeu o prefeito recém eleito Marquinhos Trad (PSD). Ele esteve em reunião, na tarde desta segunda-feira (21), junto ao prefeito Alcides Bernal (PP). De acordo com eles, US$ 56 milhões já estão aprovados no BID para a execução do projeto.

Marquinhos foi questionado sobre “priorizar o centro” em detrimento de outros locais da cidade, mas negou, afirmando que o projeto já aguarda execução há anos. “Campo Grande como um todo é prioridade, independe de onde é seria executado, um projeto aprovado, inclusive pelo senado, não pode se perder”, respondeu.

Bernal declarou que “a capacidade de endividamento da Capital está boa” e que Campo Grande tem condições de realizar o investimento. A demora, de acordo com ele, é justificada pelo período eleitoral. Liberada pelo Banco, o dinheiro precisava de assinatura conjunta, de acordo com os prefeitos. Conforme explicaram, os valores serão liberados conforme a execução, que deve começar no primeiro semestre de 2017, acompanhando prestação de contas.

Obras

O centro, na Rua 14 de julho, passará por requalificação entre as Avenidas Fernando Correia e Mato Grosso. Além disso, a quantia prevê financiamento de pesquisas para um plano de mobilidade urbana e a criação de um espaço que facilite o trânsito de pedestres entre o Mercado Municipal, o Horto Florestal e a Morada dos Baís.

Além dos três, o financiamento ainda será utilizado para um projeto habitacional. Quem explicou o projeto foi a coordenadora de projetos da Prefeitura, Catiana Sabadin. O “Projeto piloto de habitação com faixada ativa” pretende fazer do centro um local mais atrativo para moradores. Catiana afirma que o centro passa por evasão.

À época que o projeto foi anunciado, a população do centro reagiu, temendo a retirada das faixas de estacionamento da 14 de julho. De acordo com a coordenadora, apenas três quadras ao londo da Rua perderão a faixa. “Iremos reduzir a pista de rolamento pra facilitar a vida dos pedestres e colocar duas faixas de rolamento”, declarou.

Jornal Midiamax