Cotidiano

Bernal faz proposta para professores, mas reajuste não foi oferecido

Bernal propôs suspender ação contra piso salarial

Midiamax Publicado em 15/03/2016, às 15h24

None
_mg_8725.jpg

Bernal propôs suspender ação contra piso salarial

A reunião com a Comissão, que conta com oito professores da ACP (Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação Básica), terminou depois de uma hora e meia de discussão. Até o momento a proposta não foi divulgada. Conversas entre servidores revelam apenas que houve uma proposta por parte do prefeito Alcides Bernal (PP), no entanto, não há sinalização a respeito do reajuste. 

Conforme as informações, Bernal pediu prazo até o dia 25 de abril para apresentar os índices dos reajustes. Além disso, teria sugerido suspender a ação que tramita no Tribunal de Justiça sobre a Lei Municipal 5.411/2014 que trata do piso salarial da categoria. Bernal faz proposta para professores, mas reajuste não foi oferecido

"Não tem nada de muito importante. Nenhum posicionamento do reajuste ainda. Temos alguns julgamentos tramitando e a suspensão disso é um pequeno reconhecimento da lei. Ele [prefeito] diz que não tem condições financeiras", comenta um servidor.

Após a reunião com o prefeito Alcides Bernal (PP), o secretário de governo, Paulo Pedra (sem partido) e a titular da Semed (Secretaria Municipal de Educação), Leila Machado e a  comissão de professores, o  presidente da ACP, Lucilio Souza Nobre, convocou a categoria para uma assembleia, nesta tarde na sede do Sindicato.

"Vamos nos reunir em assembleia na sede do Sindicato para informar a categoria sobre a proposta feita durante a reunião nesta manhã. Não foi da forma como a gente queria, mas é uma saída para o cumprimento da Lei Municipal 5.411", afirma.

Mais de 500 professores participaram de passeata em apoio à paralisação nacional - Marithê Lopes/Midiamax

A reunião com a categoria está agendada para às 14 horas. Nesta terça-feira (15), mais de 500 professores da Reme (Rede Municipal de Ensino) cruzaram os braços em adesão à paralisação nacional da categoria. Na Capital, os professores seguiram em passeata da sede da ACP até a Prefeitura a fim de exigir o cumprimento do piso nacional.

Jornal Midiamax