Cotidiano

Bancários mantêm greve e mais agências devem fechar durante negociações

Fenaban apresenta proposta nesta sexta-feira

Midiamax Publicado em 08/09/2016, às 11h43

None
greve_7.jpg

Fenaban apresenta proposta nesta sexta-feira

Próximo de mais uma rodada de negociações com a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), agendada para a manhã desta sexta-feira (9), a greve dos bancários continua em Campo Grande e outros 27 municípios de Mato Grosso do Sul. Até o momento, 98 agências aderiram ao movimento, porém, a expectativa é de que mais unidades paralisem as atividades ainda nesta quinta-feira (8).

Segundo o presidente do Seebcg-MS (Sindicato dos Bancários de Campo Grande Mato Grosso do Sul e Região), Edvaldo Barros, das 120 agências na Capital, ao menos 82 paralisaram as atividades. Outras 16 unidades das 40, representadas pelo sindicato no interior do Estado, aderiram ao movimento grevista. Um novo balanço de adesão de greve será divulgado nesta tarde.

Até o momento não houve avanço nas negociações. A categoria reivindica reajuste salarial de 14,78%. A Fenanban, por sua vez, ofereceu 6,5%. A proposta foi rejeitada e uma nova sugestão deve ser apresentada amanhã durante reunião entre bancários e a federação. Bancários mantêm greve e mais agências devem fechar durante negociações

O presidente do Seebcg-MS, destaca que além do reajuste salarial e benefícios, a categoria pede combate às metas abusivas e ao assédio moral, fim das demissões, ampliação das contratações, combate às terceirizações e à precarização das condições de trabalho mais segurança nas agências bancárias e auxílio educação.

"O reajuste é uma das reivindicações. Queremos contratações para diminuir a sobrecarga dos trabalhadores e melhorar o atendimento ao público", frisa.

Ao todo são 2,7 mil bancários no Estado. A quantidade de contrações necessárias não foi informada. Barros explica que a demanda varia de acordo com a necessidade de cada unidade. 

Na última greve realizada pela categoria, em outubro de 2015, 90% das agências aderiram ao movimento grevista. Foram 21 dias de negociações. Os bancários pediam reajuste de 16%, a Fenaban ofereceu 5,5% e no fim o acordo foi de 10%. A próxima rodada de negociação será amanhã, em São Paulo (SP).

Jornal Midiamax