Cotidiano

Após morte e protestos, Agetran coloca quebra-molas na Guaicurus

Local foi palco de acidente grave com vítima fatal nesta semana

Midiamax Publicado em 12/11/2016, às 14h18

None
capa111_agetrtr.jpg

Local foi palco de acidente grave com vítima fatal nesta semana

Após o quebra-quebra de moradores, que protestaram pelas melhorias na Avenida Guaicurus –  cenário de um acidente grave na última semana – equipes da Agetran (Agência municipal de transporte e trânsito) constroem na manhã deste sábado (12), no local, um quebra-molas na tentativa de ‘frear’ a velocidade com que passam os veículos.

Dois caminhões realizam a pintura do quebra-molas, que paralisa metade de cada uma das vias da Guaicurus por cerca de 30 minutos até que a tinta fique seca. Na próxima quarta-feira (16), conforme explicaram as equipes, uma faixa de pedestres deve ser pintada, além do reforço do sinal de PARE, que já está apagado. As medidas, no entanto, segundo os moradores, não resolvem o problema de infraestrutura do local.

A Rua Mariazinha Maravieski, no cruzamento com a Guaicurus, é utilizada como acesso de diversos bairros da região do Sul para a saída de São Paulo e registra bastante fluxo. O presidente da Associação de Moradores do bairro Jardim Moema, Mário Rodrigues da Silva, 63, afirma que a Rua teria uma continuação em perímetro mais extenso, o que não foi realizado por ‘falta de verbas’.

“Na época que ela foi asfaltada alegaram que a verba acabou e que ela não pode ser concluída e agora só tem mato”, afirma. No ‘final’ da Rua, ao invés da continuação, está um muro, que guarda um terreno. O muro, de acordo com o presidente, foi pedido por uma empresa que fica ao lado, porque o terreno, de acordo com ele, era utilizado foco de violência.

A Guaicurus também registra um fluxo intenso de caminhões e outros veículos de peso, como ônibus coletivos e interurbanos, que buscam a BR-163.

“Foi uma pequena conquista porque já diminuiu um pouco a velocidade dos veículos, mas o pedido aqui é que coloque uma passarela e colocaram apenas um quebra-mola”, comentou Daniel Gomes do Prado, 44, proprietário de um depósito de materiais para construção.
Protesto

Chamada de pista de corrida pelos moradores da região, a Avenida Guaicurus foi bloqueada na manhã desta sexta-feira (11), na altura da Vila Julieta, no cruzamento com a Rua Mariazinha.Com pneus e madeiras, os moradores impediram a passagem de carros e cobram medidas do poder público para reordenação do trânsito e evitar novas tragédias.

Acidente

O acidente aconteceu na Avenida Guaicurus com a Rua Mariazinha Maraviesk e deixou um morto e cinco pessoas feridas na quarta-feira (09). Um dos carros teria invadido a preferencial. Cecília Paredes, de 73 anos, foi atendida pelo Corpo de Bombeiros, mas não resistiu e faleceu no local. Outras cinco vítimas, ainda não identificadas, foram encaminhadas para atendimento, duas em estado grave.

Jornal Midiamax