Temporal deixou alagamentos, vias interditadas e rastro de estragos

A forte chuva de mais de 90 mm (milímetros) que atingiu na madrugada desta quarta-feira (2) provocou vários estragos pela cidade. Conforme o setor de monitoramento da Defesa Civil, foram registrados 21 pontos de alagamentos, além de várias casas inundadas. Os ventos chegaram a 56,27 km/h (quilômetros por hora).

Segundo o meteorologista Natálio Abrão, os sensores marcaram 92,25 milímetros na Capital. Na Avenida Interlagos, na região sul da cidade foram 77 milímetros. Durante a madrugada um carro caiu no córrego depois de ser arrastado pela enxurrada. Na mesma área, no Moreninhas foram 75 milímetros de chuva entre a 1h50 e às 6h20.

Na região norte o nível de água foi menor, de 55 milímetros, no entanto, no Nova Lima, quatro casas ficaram alagadas durante a madrugada. No Jardim Columbia uma cratera foi aberta na Rua Jarauçu. A Defesa Civil atendeu ocorrência de alagamento em uma residência no Jardim Presidente.

No Rita Vieira, seis carros de luxo foram destruídos depois de serem atingidos por um muro que desabou no condomínio Bela Vista. O setor de monitoramento da Defesa Civil informou que as ocorrências foram registradas entre às 2h30 às 12 horas de hoje.

 

Muro de condomínio de luxo desabou e destruiu seis carros - Cleber Gellio

 

Ao todo foram 21 pontos de alagamentos, 13 casas alagadas, sendo cinco no Jardim Noroeste, quatro no Nova Lima, uma no Bairro Doutor Albuquerque, Jardim Presidente, Jardim Anache e Maria Aparecida Pedrossian. Entre as áreas alagadas na cidade, os pontos mais críticos foram nos cruzamentos da Ricardo Brandão e Joaquim Murtinho, Rachid Neder e Ernesto Geisel, além do Córrego Prosa, onde a chuva chegou a 66,5 milímetros.

A Defesa Civil explica que o pluviômetro registrou até 87 milímetros no Jardim Universitário. O meteorologista Natálio Abrão explica que a chuva continua até esta quinta-feira (3) e que a tendência é de que as chuvas cessem. A previsão é de máxima de 29 ºC para hoje. Amanhã a temperatura deve ficar entre 20 ºC e 31 ºC.

 

Casas foram alagadas durante a madrugada desta quarta-feira - Marithê Lopes

Na manhã de hoje o prefeito Alcides Bernal (PP) informou ao Jornal Midiamax que vai reafirmar ao Ministério da Integração Nacional, o pedido de R$ 30 milhões para reparar prejuízos causados pela chuva, que levaram a cidade a decretar situação de emergência. A assessoria de comunicação do Município disse que ainda não há um levantamento sobre os prejuízos dessa última chuva. 90 mm de chuva + 56 km/h de vento: receita de uma 'cidade de açúcar'

De acordo com informações divulgadas no Alert-AS (Centro Virtual para Aviso de Eventos Meteorológicos Severos para o Sul da América do Sul), do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), os ventos foram de 61 a 99 quilômetros por hora. 

Além da Capital, a chuva forte atingiu as regiões leste, sudoeste, centro norte e Pantanal de Mato Grosso do Sul. Em caso de emergências, como alagamentos, é necessário entrar em contato com a Defesa Civil pelo telefone 199 ou com o Corpo de Bombeiros por meio do número 193.