Cotidiano

VÍDEO: Servidores aguardam chegada de ministro com cartazes, buzinas e protesto

Grupos se reuniram para protestar contra veto de reajuste 

Midiamax Publicado em 05/10/2015, às 13h27

None
img-20151005-wa0037.jpg

Grupos se reuniram para protestar contra veto de reajuste 

comc artazes e buzinas, servidores do Judiciário Federal participam de uma manifestação na manhã desta segunda-feira (5), na frente do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul). Eles reivindicam reajuste salarial de 53% que segundo os manifestantes, teria sido barrado pelo presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, que estará em Campo Grande, ainda nesta manhã.

O servidor Fabiano Bellesia, de 37 anos, que trabalha no TRT (Tribunal Regional do Trabalho), afirma que o ministro paralisou as negociações sobre o PLC 28/2015, que trata da revisão salarial do Judiciário Federal.

“Estamos aqui protestando contra a intransigência e arbitrariedade do processo de negociação dos servidores. O ministro não recebe a categoria, não tem mais conversa. Está conduzindo as negociações de forma arbitrária”, afirma.

Ao todo o judiciário Federal conta com 2.500 trabalhadores no Estado, entre eles, 1.500 em Campo Grande. A média salarial em início de carreira é de R$ 4 mil. De acordo com Bellesia, os trabalhadores estão sem reajuste a aproximadamente 10 anos.

“Estamos prestes a completar uma década sem reajuste. O projeto foi proposto pelo próprio ministro e agora ele não defende o que propôs”, frisa.

A previsão é de que o ministro chegue ao TJMS às 10h30. Os manifestantes estão com cartazes e buzinas. Eles se dividiram em dois pequenos grupos na frente das duas entradas de acesso ao Tribunal de Justiça.

Jornal Midiamax