Cotidiano

Sobrecarregados, técnicos em enfermagem de UPA pedem reforço

Queixa é de que trabalhadores não foram remanejados

Midiamax Publicado em 08/04/2015, às 15h24

None
img-20150407-wa0119.jpg

Queixa é de que trabalhadores não foram remanejados

Sobrecarregados de serviços há mais de 11 dias, servidores da UPA (Unidade de Pronto Atendimento Comunitário) Coronel Antonino questionam por qual motivo os técnicos de enfermagem da UPA Vila Almeida, que estava fechada para reforma, não foram remanejados para ajudar no atendimento.

Segundo servidores do Coronel Antonino, há 14 técnicos lotados na unidade. Eles são responsáveis pelo atendimento em dias normais, mas, nos últimos dias, o número de pacientes dobrou. Para atender tanta gente seria necessário que os trabalhadores da Vila Almeida ajudassem.

“Nossa UPA está extremamente lotada e nenhum enfermeiro da Vila Almeida foi remanejado para nos ajudar. Estamos atendendo o dobro de pessoas com quase o mesmo efetivo. Ainda bem que, pelo menos, alguns médicos vieram para cá, mas isso não está sendo suficiente”, reclama uma técnica em enfermagem que preferiu não ser identificada.

Nos corredores da saúde, o que se comenta é que muitos servidores da Vila Almeida apresentaram atestados para não trabalhar nesses dias de reforma, todavia, estes mesmos foram trabalhar nos plantões. A idéia é receber a boa remuneração paga pelo plantão.

Outra servidora, que também preferiu não ser identificada, revelou que na última terça-feira (7), havia mais de 70 crianças para ser atendidas. Reforçando as reclamações de que há superlotação.

A dona de casa, Isabel Maria da Silva, de 45 anos, ressalta que precisou esperar por mais de 5 horas para ser atendida na unidade. “Quando cheguei na UPA era 15 horas e só consegui atendimento às 20 horas, foi um sufoco”, diz.

Falta medicação

Servidores e usuários também reclamam da falta de medicamentos básicos na UPA Coronel Antonino. Segundo eles, faltam antibióticos, vitaminas e anti-inflamatórios.

Outro lado

Em contrapartida, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) contestou não ter havido remanejamento de técnicos em enfermagem. Segundo a assessoria de imprensa da secretaria, os servidores da Vila Almeida, que está em reforma, foram transferidos, temporariamente, para trabalharem nas unidades do Coophavila e do Aero Rancho. Ademais, a Sesau afirma que a Upa Coronel Antonino está recebendo apoio das equipes de plantão.

A Sesau esclarece que a superlotação da UPA Coronel Antonino se deve, também, às doenças sazonais, que começam com o fim do verão.

Para dar fim ao problema, a secretaria informa que a reforma da Vila Almeida deve terminar até o fim desta semana.

Jornal Midiamax