Também há ação na Justiça para tentar barrar a greve dos médicos

Mesmo com a greve dos médicos deflagrada a partir da zero hora desta quarta-feira (6), a (Secretaria Municipal de Saúde) declarou não haver dinheiro para atender às reivindicações dos profissionais. Desta forma, o município afirma que vai tentar o diálogo com a classe médica a fim de que a greve tenha fim – além de ter ido à Justiça no intuito de acabar com a paralisação.

De acordo com a assessoria de imprensa da Sesau, neste momento não haverá uma contraproposta a ser oferecida aos médicos, que pediram reajuste salarial. Além disso, os médicos querem que os plantões que normalmente ocorriam, não sejam cortados.

Por não haver contraproposta, a Sesau reforça que a medida a ser tomada é manter o diálogo com a classe médica. Outra medida, segundo a Sesau, que será tomada pela secretaria é esclarecer à população sobre a greve, com a finalidade de haver menos impacto ao usuário.

Briga na Justiça

A Prefeitura de Campo Grande entrou com uma ação na Justiça com a finalidade de barrar a greve dos médicos, porém, de acordo com o Sinmed-MS (Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul), a greve continuará, uma vez que não houve nenhuma notificação judicial.

Assim, apenas 30% dos médicos do município, vão trabalhar neste período de negociações, ou seja, 420 de um total de 1.400 continuarão atendendo a população.

Saiba Mais