Ato reuniu 2 mil pessoas, segundo organização

Funcionários públicos fizeram manifestação na manhã deste sábado (30), na região central de . O protesto foi conduzido pelo de Mato Grosso do Sul que agrega 16 sindicatos e representa 40 mil servidores da administração estadual. Além de funcionários do Estado, com docentes e militares, professores municipais, também participaram do ato que teve início na Praça do Rádio Clube.

“Nosso intuito é mostrar para a população que a antecipação salarial dita pelo governo não é verdade. Nosso grito é contra o reajuste zero, nós pedimos ao menos a reposição da inflação”, disse o presidente do Fórum, Alexandre Barbosa, que também representa o Sinpol-MS (Sindicato dos Policiais Civis). A organização acredita que o movimento atraiu aproximadamente 2 mil pessoas.

Servidores municipais

O ACP (Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação Pública), por exemplo, estão em e fórum às ruas hoje novamente protestar para que haja reajuste salarial da categoria.

“Tem gente do Corpo de Bombeiros, PM, pois o governo deu reajuste zero para eles. E nós também estamos nesta luta pela nossa categoria”, disse Geraldo Gonçalves, presidente do ACP.

Os professores municipais,inclusive, continuam com paralisação iniciada no último dia 25.  O ACP pede que a Prefeitura conceda reajusta de 13.01% para equiparação do piso local ao nacional, conforme prevêem as legislações da União e do Município. Com o aumento, o piso salarial do docente de Campo Grande subiria de R$ 1.697 para R$ 1.917 para 20 horas/aula. Ao todo, a REME (Rede Municipal de Educação), conta com 1.101 estudantes e 8 mil professores.