Cotidiano

Sede do Incra permanece invadida e nacional sinaliza vinda a Capital na terça-feira

Manifestantes dizem que ocupação é por tempo indeterminado

Kemila Pellin Publicado em 16/07/2015, às 19h16

None
_mg_9348_edi.jpg

Manifestantes dizem que ocupação é por tempo indeterminado

As mais de 300 famílias dos movimentos sociais que invadiram a sede do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) na manhã desta quinta-feira (16) ainda estão no local, mesmo após o Incra nacional confirmar que vem a Campo Grande na próxima terça-feira (21). As informações são do presidente do MTR (Movimento dos Trabalhadores Rurais), Sílvio José.

Sílvio comentou que alguns pontos das reivindicações já foram discutidos com o superintendente do Incra regional, Sidney Ferreira, em uma reunião no início da tarde, porém o documento com a lista completa das exigências ainda não foi entregue, visto que alguns pontos ainda estão sendo definidos.

O presidente do MTR também destaca que o Incra Nacional sinalizou a vinda para a Capital na próxima terça-feira (21) para conversar com os movimentos. “Eles disseram que virão na terça, mas nós não estamos querendo desocupar o prédio enquanto eles não chegarem, porque já é a terceira vez que eles simplesmente não vem”, comenta Sílvio.

Os movimentos reivindicam a liberação de recursos e áreas para assentamento das famílias. Claudinei Monteiro, presidente do MAC (Movimento Agricultura Camponesa), que também está à frente da invasão, afirma que existem hoje no Estado de 29 a 30 mil famílias que esperam para serem assentadas. 

Jornal Midiamax