Cotidiano

Secretário fala em mais de R$ 300 milhões para saúde e revela próxima para da Caravana

Bataguassu e Três Lagoas vão receber Caravana da Saúde

Ludyney Moura Publicado em 21/05/2015, às 22h10

None
foto_1_4.jpg

Bataguassu e Três Lagoas vão receber Caravana da Saúde

O secretário estadual de saúde, Nelson Tavares, participou nesta quinta-feira (21) de uma Audiência Pública para prestação de contas com investimentos, receita e despesas de sua pasta. Mais cedo, ele revelou que a próxima parada da Caravana da Saúde será o município de Três Lagoas, já a partir do próximo dia 30 de maio.

Segundo Tavares, atualmente os gastos do governo com saúde são de R$ 313 milhões para os 79 municípios sul-mato-grossenses. “Essa é a função do Governo do Estado, repassar os recursos para que cada município invista da melhor forma que atender a sua população”, disse.

A audiência aconteceu à pedido da comissão de saúde da Assembleia, presidida pela deputada Mara Caseiro (PTdoB). “Fazer a regionalização vai atender o sul-mato-grossense de forma mais adequada e tornar público as vagas no sistema de regulação facilita o acompanhamento para que seja dado o encaminhamento de acordo com o grau de urgência”, ressaltou a parlamentar.

Caravana

O secretário revelou que antes de Três Lagoas a Caravana da Saúde vai ‘desembarcar’ no dia 30 de maio no município vizinho de Bataguassu, ponto de partido para as ações de saúde na microrregião que vão durar até o dia 14 de junho.

“A ideia é fazer o mesmo modelo implantado em Ponta Porã, onde Amambai iniciou aos atendimentos. Estamos nos esforçando para fazer uma a cada mês. Na região de Três Lagoas, a Caravana ficará por aproximadamente 17 dias atendendo as especialidades tanto nas estruturas móveis como também nos hospitais. A expectativa é de que os atendimentos sejam maiores em relação a Ponta Porã devido à extensão da região”, frisou Tavares.

Segundo o secretário, na fronteira a Caravana registrou mais de 48 mil procedimentos, com mais de 2,5 mil cirurgias e cerca de 9 mil consultas. “Estamos empenhados em designar as especialidades de cada município para que não haja o encaminhamento para Campo Grande, isso será possível através da reestruturação deixada pela Caravana ao passar pelos municípios”, finalizou. 

Jornal Midiamax