Cotidiano

Rodovias de MS estão desgastadas e sem sinalização, aponta pesquisa

23% dos trechos apresentam problemas com placas de limite velocidade

Kemila Pellin Publicado em 04/11/2015, às 21h15

None
operacao_prf_-_gerson_walber_2.jpg

23% dos trechos apresentam problemas com placas de limite velocidade

Uma pesquisa realizada pela CNT (Confederação Nacional do Transporte) mostra que as condições das rodovias em Mato Grosso do Sul estão bem abaixo do que seria considerado ideal, ou pelo menos seguro para os condutores. Conforme o balanço, dos 4.413 quilômetros pesquisados, 66% está com o asfalto desgastado, com remendos, afundamentos ou buracos, 34% está com a sinalização central desgasta ou inexistente, 40% apresenta os mesmo problema com sinalização lateral, e 23,7% não possui placas de limite de velocidade. A estimativa de investimento para a restauração, reconstrução e manutenção dos trechos danificados em todo o Estado é de R$ 2,14 bilhões.

O levantamento feito em 54,96% dos 8.029 quilômetros pavimentados do Estado, sendo 3.827 km federais e 3.475 estaduais, também classifica as condições em que cada rodovia se encontra, avaliando o estado geral, pavimentação, sinalização e geometria da via. O destaque é para a sinalização, que apesar de ter o menor índice entre os problemas, é uma das principais causas de acidentes. Conforme dados da PRF (Polícia Rodoviária Federal) durante a Operação Finados 2.845 condutores foram por excesso de velocidade nas rodovias federais de Mato Grosso do Sul.

Bom, ruim, regular ou péssima

Das 23 rodovias analisadas em MS, a que tem a melhor pavimentação é a BR-359, próximo a Coxim, sendo a única classificada como “ótimo” neste quesito. A sinalização e o estado geral da pista foram considerados bons. No sentido oposto, a MS-217 foi considera péssima em sinalização, e ruim e regular em estado geral e pavimentação.

A BR-163, que corta o Estado de norte a sul, foi considerada boa em todos os sentidos, recebendo classificação regular apenas para geometria da via. Os 786 quilômetros avaliados da BR-262 foram considerados regulares no estado geral, na sinalização e na geometria. A pavimentação no entanto, foi analisada como boa.

A BR-060, que acesso a cidade de Bonito, foi classificada como regular em todos nos três primeiros pontos, e ruim na geometria da via. A BR-267 foi considerada regular no estado geral, bom em pavimentação e sinalização, e ruim na geometria.

Jornal Midiamax