Sem acordo tomam conta das ruas de Campo Grande

Mais de 800 professores fizeram caminhada pelas ruas de Campo Grande em direção da Prefeitura da Capital, nesta segunda-feira (25), em protesto ao não cumprimento da Lei 5.411, que trata do piso da categoria acordado em 2014.

A categoria pede que a Prefeitura da Capital cumpra o acordo com reajuste de 13,01%, que elevaria o salário de R$ 1.679 para R$ 1.917 por 20/horas. De acordo com o advogado do sindicato, Ronaldo Franco, a Prefeitura entrou com uma ação de ilegalidade da na sexta-feira (22), que foi contestada e o resultado da ação deve sair ainda no fim da manhã.

Ao todo 96 escolas municipais estão paralisadas, e 1.101 alunos sem aulas. Segundo o presidente da ACP (Associação Campo-Grandense de Profissionais na Educação Pública), Geraldo Gonçalves, a rede municipal de educação tem 8 mil professores, sendo 2.334 convocados e 5.500 sindicalizados.

Ainda segundo Geraldo a manifestação é uma tentativa de conseguir um acordo entre o executivo municipal e a categoria. Roberto Botarelli, presidente da Fetems ( Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), afirma que os professores da rede estadual devem entrar em greve na próxima quarta-feira (27).

O deputado estadual Pedro Kemp acompanha a passeata em solidariedade ao movimento. “A greve é o último recurso dos trabalhadores fazerem valer seus direitos”, fala o deputado.

 

 


Clique aqui para assistir ao vídeo

Saiba Mais