Nesta manhã professores e administrativos decidem se entrarão em greve

Professores e administrativos das Universidades Federais de Mato Grosso do Sul, podem paralisar os serviços a partir da próxima segunda-feira (15). Na manhã desta quarta-feira (10), a categoria participa de uma assembleia realizada pela ADUFMS (Associação dos Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) para decidir se entrará em greve.

Ao todo 1.320 professores e três mil administrativos reivindicam reajuste e reestruturação da carreira com progressão funcional entre um nível profissional e outro.

Em entrevista concedida em maio, ao Jornal Midiamax, o diretor financeiro da ADUFMS, Marco Aurélio disse que o salário de professores, graduados inicialmente para 20 horas aulas, é de R$ 2.080,00, mestres R$ 4 mil e doutores R$ 8.600.

Em abril deste ano, os professores decidiram por defender as reivindicações do Andes-SN (Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior) entregues ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e MEC (Ministério da Educação).

A proposta prevê mudança na data base do salário mínimo calculado pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), que em fevereiro deste ano foi R$ 3,1 mil para 20 horas aulas, para professor em início de carreira. O objetivo é que os docentes passem a receber a partir de 2016, R$ 6,2 mil para 40 horas aula. Ainda conforme a proposta, os mestres iniciarão a carreira com salário de R$ 9,6 mil e doutores R$ 16,2 mil. 

Se a paralisação for aceita, 16 mil alunos ficarão sem aula Estado, entre eles, oito mil em Campo Grande. Além da Capital, Mato Grosso do Sul conta com universidades federais em , Chapadão do Sul, , Coxim, Nova Andradina, Paranaíba, e Três Lagoas.

Até o momento, a possibilidade de greve ainda está sendo discutida no auditório da UFMS e de acordo com a assessoria de comunicação da ADUFMS até o fim desta manhã, a votação que conta com a participação de 100 filiados, além de representantes do núcleo estudantil e técnicos administrativos, estará encerrada.