Cotidiano

Professores da UFMS encerram greve, mas não tem prazo para voltar as aulas

Universidade precisa definir calendário acadêmico

Kemila Pellin Publicado em 07/10/2015, às 21h27

None
fotos_aereas_1_marcos_139.jpg

Universidade precisa definir calendário acadêmico

Os professores da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) decidiram pela saída unificada da greve, prevista para a próxima terça-feira (13), depois de três meses e meio de paralisação. A decisão foi tomada durante assembleia na tarde desta quarta-feira (7), mas não significa que as aulas devem ser retomadas na próxima semana, uma vez que os professores precisam da definição do calendário acadêmico de reposição, que deve ser elaborado pela universidade.

No dia 30 de setembro, os docentes já haviam sinalizado pelo saída unificada, mas sem data definida. “Nós estávamos aguardando uma posição do Comando Nacional da Greve, que nesta semana, sinalizou entre os dias 13 e 16”, explicou Marco Aurélio Stefanes, diretor financeiro da Adufms (Associação dos Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul).

O presidente do sindicato, José Carlos Silva, disse em momento anterior, que mesmo com fim o das paralisações, a categoria vai manter a mobilização pelo ajuste fiscal e defesa dos direitos trabalhistas. Os 1.320 professores e três mil administrativos reivindicavam reajuste de 27% e reestruturação da carreira com progressão funcional de índice de 5% entre um nível profissional e outro, mas o presidente defende que o reajuste oferecido pelo governo Federal está abaixo da inflação. “O governo federal ofereceu 5,5% para agosto de 2016 e outros 5% para janeiro de 2017. Isso não paga nem a inflação dos últimos anos”, afirmou..

Na terça-feira (6), os técnicos da universidade dos demais centros federais do Estado e do país, decidiram pelo fim da greve, e devem retomar as atividades na quinta-feira (8).

Jornal Midiamax