Cotidiano

Prefeitura ainda não sabe quantos professores não devem ser convocados

Semad espera o fim da greve

Midiamax Publicado em 07/07/2015, às 21h13

None
wilson_do_prado.jpg

Semad espera o fim da greve

O secretário municipal de administração, Wilson do Prado, disse na tarde desta terça-feira (7) que para ‘cortar gorduras’ da Prefeitura Municipal de Campo Grande deve deixar de convocar alguns docentes, mas segundo o secretário o número exato só deve ser divulgado quando acabar a greve do professores.

“Preciso que eles retornem as aulas para eu fazer as relotações e a partir das relotações eu dividir as turmas e ver quantos professores contratados eu posso deixar de convocar”.

De acordo com Wilson, mais 200 servidores, além dos professores que não serão convocados, devem ser exonerados pelo executivo municipal. A medida é para diminuis os gastos com folha de pagamento que a Prefeitura tem e recuar em relação ao limite prudencial de 54% exigido em lei.

Para por um fim na greve dos docentes o secretário encaminhou ao MPE (Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul), de acordo com ele, uma proposta de reajuste de 8,5 divido em oito parcelas, para que com o reajuste e as exonerações a Prefeitura atinja o 51.03% do orçamento com gasto pessoal.

Tivesse uma reunião de manha e retomamos a proposta 8,5% limitado ao limite prudencial de 51.03% dividido em oito parcelas. “A gente só pode corrigir a inflação, de acordo com o nosso estudo de impacto”.

Outra medida que deve ser adotada pela Prefeitura é a readaptação de professores e adaptação dos plantões da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde). 

Jornal Midiamax