Desocupação foi exigência do presidente do para atender exigências

O grupo do -MS (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra de Mato Grosso do Sul) desocupou a sede do Incra(Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) na tarde desta sexta-feira (8), na Capital.

Segundo o dirigente do MST-MS, Jonas Conceição, a desocupação foi uma exigência da presidência do Incra para que as exigências do movimento sejam negociadas. Agora o grupo segue para a quadra do Moreninho, na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul)

Os manifestantes reivindicam a nomeação de um novo superintendente para o Icra-MS e destacam as precariedades dos grupos que vivem em acampamentos.

Atualmente, 3,5 mil famílias estão acampadas, à espera de terras. Todavia, os grupos filiados a outras entidades como a Fetagri (Federação dos Trabalhadores na Agricultura), por exemplo, somam 12 mil.

Durante as negociações feitas desde a ocupação do prédio, na última quarta-feira (6), ficou prevista a visita da presidente do Incra, Maria Lúcia de Oliveira Falcón. Ela deve vir à Capital para tratar as reivindicações discutidas durante as manifestações na última semana.

O dirigente do MST-MS ressalta que caso não haja a visita da presidente do Incra, o prédio será novamente ocupado pelos manifestantes. Além disso, outras rodovias podem ser fechadas.

Saiba Mais