Cotidiano

Nova reunião com governo do Estado deve definir se policiais terão reajuste

Reajuste pedido pela categoria é de 18%

Thatiana Melo Publicado em 11/06/2015, às 13h54

None
img-20150516-wa0065.jpg

Reajuste pedido pela categoria é de 18%

Uma nova reunião marcada para esta sexta-feira (12), com o governo do Estado deve definir os rumos sobre uma possível greve dos policiais civis. Segundo Alexandre Barbosa, presidente do Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul) na última reunião na terça-feira (9) não houve avanços.

De acordo com Alexandre, o secretário de governo, Eduardo Riedel, afirmou na reunião que o Estado estaria com dificuldades financeiras, sem recursos, e que o reajuste dado para a categoria em dezembro seria uma antecipação do reajuste de maio. “Mas nós mostramos através de balanços que o governo tem recursos e tem como dar o reajuste pedido, e o que foi dado em dezembro não faz parte de antecipação”, fala.

“Queremos a valorização do policial civil, já que este foi o compromisso dele (Azambuja) na campanha, como igualar nossa remuneração com o quinto melhor do país”, explica Alexandre. Segundo o presidente do Sinpol a 5º melhor remuneração está no Tocantins, com salário inicial de R$ 5 mil e a 1º em Brasília com salário inicial de R$ 8 mil.O reajuste pedido pela categoria é de 18%.

Mato Grosso do Sul tem em seu quadro 3 mil policiais entre ativos e inativos, sendo 2,200 na ativa, com salário inicial de R$ 3,600. Alexandre Barbosa ainda ressalta que existe um deficit em torno de 700 policiais.

“Não queremos chegar ao estágio da greve, mas se não tiver jeito será a única maneira”, diz. Uma nova assembleia está marcada para sábado (13), no sindicato para discussão do início da greve, caso nenhum acordo seja firmado com o governo do Estado. 

Jornal Midiamax