Cotidiano

Nas Moreninhas, um dia após vento de 72 km/h, moradores contabilizam prejuízos

Igreja e casas foram destelhadas durante chuva

Midiamax Publicado em 10/11/2015, às 19h26

None
capa.jpg

Igreja e casas foram destelhadas durante chuva

A chuva foi ontem, foi curta, mas arrasadora em algumas regiões de Campo Grande. No bairro Moreninhas II, a terça-feira está sendo dia de contabilizar prejuízos dos ventos de até 72km/h. A equipe de reportagem do Jornal Midiamax esteve na região e viu telhas em frente a várias casas, como na Rua Barreiras, onde uma igreja foi destelhada pela força do vento. Segundo a Defesa Civil, foram 30 casas atingidas.

Valdirene Leão Moreira é obreira da igreja, e disse que o vendaval ocorreu muito rápido. “O vento levou quase todas as telhas da igreja. Eu não sei ainda o prejuízo que tivemos, mas vamos ter que trocar todo o telhado.

Telhas da igreja foram parar na casa vizinha. A doméstica Cerli Gomes de Toledo mora na casa ao lado, e segundo ela, as telhas engancharam na cerca elétrica. “Eu não estava em casa no momento, quando cheguei levei um susto, quase todo o telhado da minha varanda tinha sido levado também, além das telhas que vieram da igreja”.

Cerli está preocupada com o prejuízo causado pelo temporal. “Fazem quase 6 meses que eu coloquei essa cerca elétrica, Gastei R$ 1,2 mil, tudo para minha segurança, já que minha casa já foi assaltada tempos atrás. Alguns pedreiros vieram aqui fazer o orçamento, mas disseram que chega a R$ 3 mil”, reclamou. Ela mora sozinha, ganha um salário mínimo, e disse que não tem condições para arcar com as despesas do estrago.

O comerciante João Batista também teve estragos no seu estabelecimento. Ele é dono de um açougue na região, que o toldo foi parar no chão. “Eu estava atendendo quando veio o temporal. Foi por sorte que ninguém se machucou. Minha preocupação não é só o estrago do toldo, mas de uma árvore que fica na frente”, disse ele. A árvore, segundo ele, foi condenada. “É a 3ª chuva que caem galhos dela. Teve uma vez que cai em cima de um carro estacionado aqui”, ressaltou.

João pediu em maio a retirada da árvore. Segundo ele, a Prefeitura disse que vai fazer a poda e remoção, mas que aguarda documentação da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano). 

Outros estragos foram registrados na região. Em um estabelecimento comercial, ainda não inaugurado, todos os vidros da local foram quebrados com o vento e a chuva. No terminal da Moreninhas, o letreiro foi derrubado com a força do vento.

Força do vento

Segundo o meteorologista Natálio Abraão, da Uniderp, a pancada de chuva,q ue chegou por volta das 15h, veio acompanhada de vento forte, trovoadas e granizo em alguns bairros da cidade. O vento chegou a 72 km por hora. Mais de 20 árvores caíram e semáforos pararam de funcionar na região central.

A Prefeitura informou que atendeu 30 famílias com lonas. O secretário municipal de Segurança Pública, Luidson Noleto, informou que quatro casas ficaram totalmente destelhadas e 25 parcialmente. Segundo a Prefeitura, além da Defesa Civil, a Secretaria Municipal de Assistência Social (SAS)  também levou atendimento. 

Jornal Midiamax