Cotidiano

Município de MS está entre 10 maiores destruidores da Mata Atlântica no país

Juti 6.399 habitantes e território de 158.663 hectares

Diego Alves Publicado em 12/11/2015, às 02h57

None
jutiinterna.jpg

Juti 6.399 habitantes e território de 158.663 hectares

O município de Juti, sul de MS, aparece em 10º lugar entre as cidades que mais desmataram a Mata Atlântica entre 2013 e 2014, de acordo com o Atlas dos Municípios da Fundação SOS Mata Atlântica e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) lançado nesta quarta-feira (11).

Juti 6.399 habitantes e um território de 158.663 hectares, conforme a estimativa para 2015 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), desmatou em dois anos uma área de 278 ha. Em contrapartida, a cidade do estado que mais preservou o bioma no período de 2000-2014 foi Jardim. O município tem 78,8% de vegetação natural em comparação com a área original que inclui, além das florestas, outras áreas como refúgios, várzeas e campos de altitude.

Atlas dos municípios

Com índices de desmatamento de 3.429 cidades brasileiras, o ranking de desmatamento do Atlas da SOS Mata Atlântica é encabeçado pela cidade de Eliseu Martins (PI), com a supressão vegetal de 4.287 hectares (ha) no período entre 2013 e 2014. Em contrapartida, outras duas cidades piauienses, Tamboril do Piauí e Guaribas, lideram a lista das cidades mais conservadas, com 96% da vegetação natural.

No recorte do período 2000-2014, a cidade campeã de desmatamento no Brasil é Jequitinhonha (MG), com 8.708 hectares desmatados.

Cidades de MS

A cidade do Estado que mais preservou o bioma no período de 2000‐2014 foi Jardim, que conta com 78,8% de vegetação natural, em comparação com a área original. A vegetação natural inclui, além das florestas, outras áreas como refúgios, várzeas e campos de altitude. A capital do Estado, Campo Grande, possui 17% de área do bioma conservada.  

Jornal Midiamax