Cotidiano

Mais um aumento: empresários querem passagem de ônibus em R$ 3,50

Valor está sendo estudado pela Prefeitura

Kemila Pellin Publicado em 29/10/2015, às 18h01

None
img-20150812-wa0119_0.jpg

Valor está sendo estudado pela Prefeitura

Depois de tanta discussão envolvendo o reajuste da tarifa do transporte coletivo de Campo Grande, a Assetur finalmente apresentou os novos valores à Prefeitura, sugerindo um aumento de 16,6%, o que elevaria o valor da passagem de R$ 3 para R$ 3,49, ou simplesmente R$ 3,50, já que “R$ 0,01 não faz falta a ninguém né”.

No entanto, o prefeito Alcides Bernal disse que “nada está decidido”, e que as tabelas apresentadas pela empresa para embasar o reajuste, estão sendo analisadas por uma equipe técnica da Prefeitura. “Eles pedem um reajuste significativo, mas nós vamos analisar, tanto o pedido da concessionário, como a qualidade do serviço prestados. Estamos trabalhando com muito critério”, destacou.

A empresa defende o percentual, destacando o aumento no preço do diesel e no número de usuários não pagantes, que de 2013 para cá, subiu 1,1%, o que significa 218.313 gratuidades.

Diesel mais barato

Quando o governador do Estado, Reinaldo Azambuja anunciou a redução na alíquota de ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre o litro do óleo diesel, de 17% para 13%, a população comemorou, acreditando que isso iria refletir diretamente no preço da tarifa, já que o combustível é um dos fatores determinantes na composição do valor, correspondendo a 25% no cálculo base.

Porém, a empresa destacou que de outubro de 2014 para o mesmo mês de 2015, o preço do diesel variou entre R$ 2,60 para R$ 2,99, isso porque, mesmo com a redução dos impostos, os dois reajustes propostos pela Petrobras, o mais recente em 29 de setembro deste ano, elevou o valor do litro em 4%. No acumulado dos últimos 12 meses, o reajuste fica na casa dos 14%.

Jornal Midiamax