Cotidiano

Justiça bloqueia bens de fábrica de calcinha para garantir pagamento de salário

Empresa precisa quitar R$ 1,2 milhão referente aos salários

Midiamax Publicado em 04/11/2015, às 21h28

None
audiencia_universointimo.jpg

Empresa precisa quitar R$ 1,2 milhão referente aos salários

Em ação cautelar proposta pelo Sintivesti/CG-MS (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Vestuário de Campo Grande) ao MPT (Ministério Público do Trabalho), a Justiça do Trabalho determinou, em caráter liminar, o bloqueio de bens da empresa de confecções Universo Íntimo até o pagamento de R$ 1,200 milhão, referente ao salário de setembro dos funcionários.

O sindicato deu entrada na ação no dia 28 de outubro para garantir o pagamento dos salários do mês de setembro a 324 trabalhadores, que continuam prestando serviços na empresa.

Já foram realizadas diversas reuniões entre o MPT, o Sindicato e a Universo Íntimo na tentativa de solucionar questões relacionadas ao não pagamento das verbas rescisórias dos empregados despedidos no mês de setembro/2015, bem como em relação ao não pagamento de salários do mesmo mês dos empregados que continuam trabalhando.

Sobre o caso

Os funcionários fizeram um protesto no dia 19 de outubro sobre o não recebimento dos salários, que costumam ser depositados no início do mês. Além dos mais de 320 funcionários com atraso salarial, participaram do protesto 82 trabalhadores demitidos no mês de setembro. Eles ficaram sem receber o acerto de demissão.

No dia 20, em audiência a fábrica afirmou que pagaria os funcionários na semana seguinte, o que não ocorreu até o momento.

Jornal Midiamax