Cotidiano

Incra começa vistorias em áreas para desapropriação em MS no próximo dia 17

Representante nacional do Incra está em Campo Grande para reunião 

Wendy Tonhati Publicado em 05/08/2015, às 15h13

None
img-20150805-wa0061.jpg

Representante nacional do Incra está em Campo Grande para reunião 

O Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) vai começar no próximo dia 17, a fazer vistorias em 20 áreas que podem ser desapropriadas em Mato Grosso do Sul. A informação é do presidente substituto do órgão, Leonardo Góes, que está em Campo Grande nesta quarta-feira (5), para uma reunião com representantes de dez movimentos sociais.

Segundo Góes, os trabalhos de vistorias nessas tem objetivo de definir se as áreas cumprem os requisitos para desapropriação. A maioria das propriedades fica no trecho entre Nova Alvorada do Sul e Bataguassu. O presidente substituto afirmou que antes das vistorias, ainda não é possível saber o número de famílias que serão beneficiadas.

Conforme dados do Incra, até o dia 15 de janeiro deste ano, havia 29.092 famílias cadastradas a espera de lotes da reforma agrária. Agora, a estimativa é de que atualmente existam aproximadamente 35 mil famílias nesta espera. Com relação aos assentados, existem 29.756 famílias assentadas em 180 projetos.

Conforme Góes, o Incra trabalha com critérios de disponibilidade de terra. É feito um cadastro e a estimativa é de que 40% dos candidatos sejam eliminados. Sobre o corte de recursos federais, o presidente substituto confirmou que houve uma redução. Estavam previstos R$ 1,6 bilhão, mas que só foram autorizados R$ 860 milhões para órgão. Com isso, ainda não há o montante que o Estado deve receber. Mesmo assim, ele garantiu que os trabalhos de vistorias não serão impactados e que mesmo com a redução dos recursos, os compromissos serão mantidos.

Reunião

O ex-líder do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), José Rainha disse que os grupos pretendem ocupar 20 áreas em diferentes regiões do Estado.

Estão presentes representantes do MAF (Movimentos da Agricultura Familiar), OLT (Organização da luta pela Terra), Masc (Movimento da Agricultura Social Cristão), MTR (Movimento dos Trabalhadores Rurais), FNL (Frente Nacional de Luta), MAC (Movimento da Agricultura Camponesa), MSTB (Movimento Sem Terra Brasileiro), MBST (Movimento Brasileiro do Sem Terra), LC (Ligas Camponesas).

Jornal Midiamax