Cotidiano

Funcionários do HR temem ficar sem comida e dizem que materiais para exames estão no fim

Servidores dizem não ter recebido benefícios e boatos se espalham

Wendy Tonhati Publicado em 10/08/2015, às 15h21

None
regional.jpg

Servidores dizem não ter recebido benefícios e boatos se espalham

Funcionários do Hospital Regional Rosa Pedrossian, em Campo Grande, estão temerosos com o futuro do da instituição. Eles afirmam que o cartão, pelo qual recebem benefícios com desconto em folha, ainda não foi creditado e estão passando vergonha na fila do mercado. Os servidores dizem que há muitas conversas nos corredores sobre falta de pagamento a fornecedores e dizem que nesta segunda-feira (10), vão ficar sem alimentação.

“Hoje novamente não terá almoço para os funcionários. Acho um absurdo o descaso  para com a gente ultimamente. Fora os absurdos que ocorrem como o desconto de cartões como o BMG e Brasilcard que descontam da gente, não repassam paras empresas e nós ficamos com o saldo devendo”, conta uma das funcionárias do Hospital Regional.

Os servidores dizem ainda que pela falta de pagamento, os materiais para diversos exames vão acabar. “Falta seringa, álcool, agulha. O laboratório vai parar. Tem equipamento que na hora que acabar reagente também vai parar”, diz outro funcionário.

Ontem, um servidor que preferiu não se identificar, disse que a caldeira onde são preparadas as refeições estragou e o hospital estaria servindo apenas suco e bolacha como almoço. Ainda segundo informações do servidor, o hospital anunciou que não haveria almoço, mas não está permitindo que os funcionários se ausentem para almoçar em outro local.

O outro lado

Em relação à falta de materiais para exames, o HR, por sua vez, diz que alguns reagentes já estão comprados, mas ainda não foram entregues.  Quanto às caldeiras, a assessoria de imprensa explicou que as duas caldeiras do hospital estavam sem manutenção há pelo menos cinco anos.

Um delas, inclusive, não funcionava plenamente há ao menos três e parou totalmente há 20 dias, sem contar que a outra não operar desde o último sábado. O vapor das caldeiras é usado na cozinha, no centro cirúrgico e  na lavandeira, e, apesar da situação, o HR garante que o problema será resolvido hoje e que nenhum paciente ficou sem alimentação.

Por causa do problema, a comida passou a ser feita com o uso de gás, no lugar do vapor e faltou refeição para acompanhantes e servidores, mas estes tiveram o horário de almoço ampliado para irem às casas e fazer as refeições, conforme diz a assessoria de imprensa, ao contrário das declarações relatadas ao Midiamax.

O jornal também questionou o hospital sobre os cartões de benefícios, mas a Comunicação ficou de averiguar a situação e deve nos enviar uma resposta ainda nesta segunda-feira.

WhatsApp: fale com os jornalistas do Jornal Midiamax

O leitor enviou as informações ao WhatsApp da redação, no número (67) 9207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem diretamente com os jornalistas do Jornal Midiamax. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total anonimato garantido pela lei.

Jornal Midiamax