Cotidiano

Fim de atendimentos: mesmo sem Cempe, Prefeitura promete ampliar consultas

UPAs e CRS vão garantir atendimento noturno

Kemila Pellin Publicado em 30/11/2015, às 21h29

None
20151130_145047.jpg

UPAs e CRS vão garantir atendimento noturno

A reestruturação do atendimento pediátrico, com a retirada dos serviços de urgência e emergência do prédio onde funcionava o antigo Cempe, na Avenida Afonso Pena, promete diminuir os custeio da Prefeitura com a saúde, em pelo menos R$ 750 mil, e aumentar os atendimentos de 22 mil para 36 mil/mês.

Segundo o secretário de Saúde de Campo Grande, Ivandro Fonseca, durante coletiva dada a imprensa para explicar as mudanças, os gastos com o Cempe giravam em torno de R$ 1,5 milhões/mês, e eram mantidos com recursos do tesouro, porque como o prédio não atendia aos critérios de segurança, determinados pelo Corpo de Bombeiros, e andava na contramão dos princípios do SUS (Sistema Único de Saúde), não tinha direito a verba do governo Federal.Fim de atendimentos: mesmo sem Cempe, Prefeitura promete ampliar consultas

“Com a reestruturação vamos diminuir os custos em aproximadamente R$ 750 mil, porque vamos utilizar corretamente a verba do SUS, e também vamos diminuir gastos com salários e plantões. Os pediatras do Cempe ganhavam algo em torno de 300% a mais do que os outros profissionais. Era inadmissível e estrangulava o caixa da Prefeitura”, explicou o secretário.

Ainda de acordo com Ivandro, durante o tempo em que o Cempe ficou aberto, o Executivo teve um prejuízo total de R$ 9.6 milhões. O valor foi obtido após uma sindicância, instaurada em 19/10/2015, onde foi constatado irregularidades no funcionamento do local, onde haveria, entre outras coisas, desvio de verba pública para manter os serviços.

Outra promessa é a ampliação no número de atendimentos, que segundo a diretora de Assistência à Saúde, Rosimeire Lima, vai aumentar em pelo menos 12 mil por mês. “Com a concentração dos serviços em único local, muitos pacientes acabavam ficando sem atendimento, justamente pelo transtorno que o deslocamento causava as famílias. Agora, o pediatra vai estar mais perto de quem precisa e dessa forma o atendimento será ampliado”, reforçou.

Onde encontro pediatras agora?

A partir desta terça-feira (1º), os pais que precisarem de atendimento médico para as crianças vão encontrar o serviço em 16 unidades das UBS (Unidades Básicas de Saúde) e UBSF (Unidades Básica de Saúde da Família), em horário normal de atendimento, e das 19 horas à 7 horas (atendimento noturno), de segunda a sexta-feira, nas CRS (Centro Regional de Saúde) dos bairros Nova Bahia, Coophavila, Moreninhas, Guanandi e Tiradentes, com garantia de pelos menos 3 pediatras por período em cada unidade, dada pela diretora de Assistência a Saúde, Rosimeire Lima.

O atendimento 24 horas ficará disponível nas três UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) da Capital, localizadas nos bairros Coronel Antônio, Vila Almeida e Universitário. Para esses locais o serviço funciona sem intervalos, de domingo à domingo. A promessa é de 5 plantonistas por turno.

Jornal Midiamax