Cotidiano

Famílias têm luz cortada e reclamam de ‘empurra-empurra’

Possível proprietário de área pede reintegração de posse

Midiamax Publicado em 06/05/2015, às 20h00

None
corte_de_luz_bosque_da_saude_foto_diogo_goncalves_7.jpg

Possível proprietário de área pede reintegração de posse

Aproximadamente 500 famílias que ocupam área na região do Bairro Bosque da Saúde, Norte de Campo Grande, estão sem luz nas casas. A maioria das residências tinha acesso à energia elétrica por meio de gatos, mas a distribuição foi interrompida nesta quarta-feira (6), pela Energisa, concessionária responsável pelo serviço de energia elétrica em Mato Grosso do Sul.

Agora os moradores reclamam da situação e lembram que há cinco anos pedem a regularização dos terrenos junto a Prefeitura de Campo Grande para que as ligações de energia possam ser feitas corretamente. No entanto, até agora as famílias dizem que ninguém se pronunciou.

“Fica um jogo de empurra, a Prefeitura joga para a Energisa que joga para a Prefeitura, e acabamos assim sem luz”, fala Daniela Conceição, de 36 anos.

O eletricista, Jonas Soares, 36 , afirma que todos os moradores possuem declaração de posse, mas o que falta é a regularização da área, pois o abastecimento de água na região ocorre normalmente.

 “Queremos que a Prefeitura autorize a colocação de relógios de luz provisórios até a regularização da situação”, pontua.

Segundo os moradores da Rua General Benedito Xavier a luz só chegou até a esquina e, por causa do problema junto a Prefeitura, não foram instalados padrões de energia na rua. Eles explicam ainda que no mês de fevereiro deste ano um engenheiro da Prefeitura esteve no local para fazer a medição dos terrenos e posteriormente a regularização, mas até agora nenhuma resposta foi dada. Apesar do impasse, reunião entre o Executivo e a Energisa deve ocorrer nesta tarde.

Outro lado

Porém, a Prefeitura, por meio da assessoria de imprensa da Emha (Agência Municipal de Habitação de Campo Grande), alega que a área onde estão as famílias é particular e o proprietário já teria solicitado a reintegração de posse junto à Justiça. Sendo assim é impossível regularizar a situação da energia elétrica para os moradores.  

Já a empresa Energisa, por sua vez, esclarece que os moradores da região do Bosque da Saúde estavam utilizando a rede de energia de forma ilegal por meio de ligações clandestinas. O fornecimento foi interrompido para garantir a segurança no local. Como a área ocupada está sob litígio a concessionária não tem autorização para executar o serviço, dentro dos padrões legais e regulares necessários.

Além de gerar impacto nas tarifas de clientes regulares, as ligações clandestinas oferecem riscos à população, sobrecarregam e comprometem a confiabilidade da rede de distribuição de energia.

Jornal Midiamax