Cotidiano

Exames não conseguiram detectar causa de pneumonia que matou jornalista

Priscilla Sampaio morreu no dia 30 de setembro

Wendy Tonhati Publicado em 13/10/2015, às 11h12

None
jornalista_4.jpg

Priscilla Sampaio morreu no dia 30 de setembro

Os exames feitos após a morte da jornalista e apresentadora Priscilla Sampaio, de 32 anos, não conseguiram detectar o que causou a pneumonia, que em aproximadamente 48 horas, matou a jornalista. De acordo com a médica nefrologista Heloísa Fujinaka, que atendeu Priscilla, todos os exames feitos já estão com os resultados prontos. 

“Já saíram todos os resultados, mas a gente não conseguiu fechar o diagnóstico”, diz. Segundo a médica todas as suspeitas que haviam foram testadas e não houve resultado para o que causou a pneumonia. “Esgotou todas as nossas fontes com o que foi colhido antes. Como a família não autorizou a necrópsia, não é possível fazer um diagnóstico da causa”, completa Fujinaka. 

Conforme a médica, o filho da jornalista passou por exames e não apresentou nenhum sinal de doença. 

Pneumonia

Priscilla se sentiu mal no dia 27 de setembro e foi internada pela família no dia seguinte. Na noite da terça-feira (29), a equipe médica realizou um procedimento cirúrgico na tentativa de oxigenação dos pulmões da jornalista, que não deu resultados. Foram dados antibióticos, antifúgicos e antivirais na tentativa de estabilizar Priscilla, mas o quadro era grave e a jornalista não resistiu e acabou morrendo no dia 30. 

Priscilla trabalhava há sete anos na TV Morena, foi repórter, apresentadora do Programa MS Rural e atualmente, apresentava a previsão do tempo e era chefe de reportagem da emissora. Ela estava casada havia três anos e deixa um filho de pouco mais de um ano.

Jornal Midiamax