Cotidiano

Em protesto, indígenas bloqueiam dois trechos da BR-163 em Caarapó e Rio Brilhante

Manifestação começou por volta das 8 horas e não há previsão para que as pistas sejam liberadas

Midiamax Publicado em 14/04/2015, às 12h55

None
manifestacao_-_reproducao.jpg

Manifestação começou por volta das 8 horas e não há previsão para que as pistas sejam liberadas

Manifestantes indígenas bloquearam dois trechos da BR-163, em Caarapó a 273 quilômetros de Campo Grande e Rio Brilhante distante 158 quilômetros. A manifestação teve início nesta terça-feira (14), por volta das 8 horas e não há previsão para que as pistas sejam liberadas. Conforme os indígenas, apenas ambulâncias terão passagem.

De acordo com o representante da Aldeia Tey’ikue de Caarapó, Alécio Soares Martins, os grupos indígenas protestam contra a aprovação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 215 que trata das demarcações de terras indígenas. “Essa PEC é contra aos nossos direitos. É muito prejudicial para os indígenas porque favores apenas os ruralistas”, afirma.

Além desta reivindicação, os indígenas protestam contra a possibilidade de substituição da Funasa (Fundação Nacional de Saúde) pelo Insi (Instituto Nacional de Saúde Indígena) que deverá ser o órgão responsável pela gestão e execução da atenção à saúde indígena no país. “Se a saúde indígena já está precária com a Funasa, imagine se mudarem. Vai ficar muito pior. Se aprovarem o atendimento vai ser terceirizado e não queremos isso”, destaca.

A Aldeia Tey’ikue conta com aproximadamente sete mil indígenas da etnia guarani-Kaiowá, no entanto, até o momento 200 participam da manifestação. De acordo com o representante do grupo, os outros deve aderir ao protesto ao longo do dia “Muitos não puderam vir, mas vão chegando aos poucos porque é do nosso interesse”, declara.

Além do bloqueio das rodovias, um grupo de indígena deve seguir para uma manifestação no Congresso Nacional. De acordo com a assessoria de comunicação da PRF (Polícia rodoviária Federal) em Caarapó o congestionamento chega a 1,5 quilômetro. Até o momento não há informação oficial de que outros trechos tenham sido bloqueados. 

Jornal Midiamax