Cotidiano

Em 20 dias, Caravana da Saúde realiza 40 mil procedimentos em Ponta Porã

Cidade tem mais de 85 mil habitantes 

Evelin Cáceres Publicado em 17/05/2015, às 15h48

None
img-20150517-wa0012.jpg

Cidade tem mais de 85 mil habitantes 

O governador Reinaldo Azambuja chegou neste domingo (17) a Ponta Porã, distante 346 quilômetros de Campo Grande, para encerrar os trabalhos da Caravana da Saúde que, até o fim do dia, deve fechar em 40 mil procedimentos.

Os números mostram, de acordo com o governo, a necessidade do atendimento diferenciado na cidade de mais de 85 mil habitantes. Acompanhado da primeira dama, prefeito da cidade e secretário de saúde, Reinaldo parou para fotos, acompanhou procedimentos e entrou em todas as salas de atendimento perguntado sobre os serviços para quem procurou a caravana.

Desde o dia 29 de abril até este domingo, já foram realizadas 139 cirurgias, podendo fechar em 180. Mais de 34 parceiros ajudam na caravana, como Bombeiros, Tribunal de Justiça, Prefeitura, Polícia Militar, entre outros.

Estrutura

O serviço, apesar de temporário, deixa na cidade mais de R$ 3,7 milhões em equipamentos ao hospital regional, como um tomógrafo, aparelho de raio-x digital, mamógrafo e dois aparelhos de ultrassonografia, além de equipar os três centros cirúrgicos da cidade.

Com investimento de R$ 1 milhão em procedimentos, Reinaldo disse que o importante não é fazer o evento. “A maior importância da Caravana é chegar a cidade, atender, identificar os problemas estruturais e deixar equipamentos para resolver”. Neste ano, outros dez leitos de UTI devem ser concluídos.

Os hospitais de Amabai e Sete quedas também foram reestruturados, a fim de manter a fronteira assistida, segundo Reinaldo.

Catarata

Um dos procedimentos mais procurados é a cirurgia de catarata. Relativamente simples, porém antes pouco acessível, a espera fazia com que a fila da cidade e região chegasse a dois mil pacientes.

“Foram realizadas mais de 2.100 cirurgias, sendo que a média anual de procedimentos era de 1.100. Isso em menos de 20 dias. Em todo o Estado, 14 mil pessoas esperam pelo atendimento. Isso mostra o descaso dos outros governantes”, destacou Reinaldo. 

Jornal Midiamax