Duplicação da BR-163 pode causar prejuízos a empresários do Bairro Nova Lima

Movimento no comércio pode ficar comprometido
| 30/07/2015
- 01:37
Duplicação da BR-163 pode causar prejuízos a empresários do Bairro Nova Lima

Movimento no comércio pode ficar comprometido

Comerciantes do Bairro Nova Lima, região Norte de Campo Grande, se reuniram com representantes do Planurb (Instituto Municipal de Planejamento Urbano) para discutir sobre o fechamento de ao menos cinco acessos que ligam a Rua Jarauçu, considerada corredor comercial do bairro, à , na tarde desta quarta-feira (29). Os empresários alegam que o acesso à rua é complicado em virtude das condições do trecho da via, que não é pavimentado, e o fechamento dos acessos diretos vão “degolar” as vendas na região.

Elaine Cristina D’Ávila, proprietária do Nosso Hotel, está à frente das negociações com o Planurb e explicou que na rua tem indústrias, fábricas e empresas que trabalham diretamente com a carga e a descarga de veículos longos, destacando que o fechamento dos acessos diretos entre a Jarauçu e a  BR-163 e a transferência de fluxo para pontos mais distantes, não só vai congestionar a área, como vai dificultar significativamente o acesso ao comércio do local.

“Eles disseram que vão fechar cinco acessos que temos, mas que outros três serão instalados. Um a gente já sabe que será na rotatória que fica uns 400 metros do fim da rua, então você imagina os caminhões tendo que fazer esse percurso. Vai congestionar todo o trânsito, porque os caminhões demoram para fazer as curvas. Aí depois eles vão ter que entrar num trecho horrível, intransitável, para poder chegar até a rua. Vai ser um desgaste muito grande para todos”, relata Elaine.

Ainda segundo a empresária os comerciantes também exigem a drenagem e a pavimentação da Jarauçu, uma vez que a situação da via piora significativamente com a chuva. “A rua é uma descida, então quando chove a água vai levando tudo e causando várias erosões, mas agora a CCR fez umas valas no final da rua, porque a água ia toda para BR, e desviou o fluxo de volta para a rua. Quando chover nós vamos ser inundados”, acrescenta.

José Parrom, proprietário do Posto Arara Azul, onde deve ficar o segundo retorno, analisou a situação como um jogo de empurra entre a Prefeitura e a Concessionária. “A CCR MSVia precisa arrumar uma solução para os alagamentos, daí ela vai e faz umas valas que vão alagar a rua, mas vai resolver o problema dela. A gente reclama e eles dizem que drenagem é responsabilidade da Prefeitura, e a Prefeitura não resolve nada”, alega.

Após o encontro desta tarde, a assessoria do Planurb informou que deve ser feita uma nova reunião com a participação da Seintrha (Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação) e da CCR MSVia, para que o problema seja discutido com todas as partes envolvidas. A previsão é de que um novo encontro ocorrerá na próxima sexta-feira (31).

Veja também

Crânio e ossos humanos estavam ao lado de uma Escola Municipal

Últimas notícias