Cotidiano

Das 1.334 detentas de MS, 85% respondem por tráfico de drogas

Em 2014, 22,4% da ocorrências de tráfico envolveram mulheres

Padrão do site Publicado em 09/11/2015, às 16h15

None
ssss.jpg

Em 2014, 22,4% da ocorrências de tráfico envolveram mulheres

Nos últimos anos a presença da mulher nos crimes de tráfico de drogas, tem somado números cada vez maiores dentro das penitenciárias de Mato Grosso do Sul. Dados da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) apontam que das 1.334 detentas nos presídios no Estado, 85% respondem pelo crime de tráfico de drogas.

Um estudo realizado pelo Ministério da Justiça, o Infopen Mulheres, apontou Mato Grosso do Sul como o terceiro Estado com maior participação de mulheres na população prisional do país, perdendo apenas pro Rio de Janeiro, seguido por Roraima. A pesquisa indica ainda que, entre os anos 2000 e 2014 o Brasil apresentou aumento de 576,4% no número absoluto de mulheres, passando de 5.601 para 37.380 detentas. Os dados se mostram relevantes analisando exemplo da população masculina, que neste mesmo período, sofreu acréscimo de 220%.

As brasileiras submetidas ao cárcere possuem em geral um fator agravante que às leva ao crime. Conforme apontado pela pesquisa, histórico de violência familiar, uso de droga e associação ao crime em posições coadjuvantes são responsáveis pelo seu comportamento criminal. Cerca de 68% foram identificadas por envolvimento com serviços de transporte e pequeno comércio de drogas, e não relacionado à gerência de grandes redes de organizações criminosas.

No Estado, segundo informações da Sejusp (Secretaria de Estado e Segurança Pública) entre 1º de janeiro à 5 de novembro deste ano, as mulheres aparecem como sendo responsável por 19,2% dos crimes de tráfico de drogas. Mas os cálculos devem aumentar, já que, segundo a secretaria grande quantidade de crimes são cometidos também em dezembro. No ano de 2014 esses números alcançaram o total de 22,4%.

Jornal Midiamax