Cotidiano

Com salário atrasado, funcionários do Asilo São João Bosco cogitam greve

Entidade beneficente não recebeu repasses

Clayton Neves Publicado em 10/04/2015, às 19h58

None
justica-2664_ext_arquivo.jpg

Entidade beneficente não recebeu repasses

Nesta sexta-feira (10) às 18h40, trabalhadores do Recanto São João Bosco – dos setores: cuidadores de idosos, copa, alimentação especial, lavanderia, limpeza e serviços gerais – participam de uma Assembleia Geral Extraordinária para decidirem sobre paralisação das atividades por tempo indeterminado.

A deliberação por meio de votação ocorrerá na sede do sindicato da categoria SENALBA/MS (Sindicato dos Empregados em Entidades Culturais, Recreativas, de Assistência Social, de Orientação e Formação Profissional no Estado de Mato Grosso do Sul), na Rua Pimenta Bueno, nº 299, B: Amambaí.

De acordo com a presidente do SENALBA/MS, Maria Joana Barreto Pereira, há mais de um ano, os salários dos empregados são pagos com atraso.

“Inicialmente os atrasos eram de apenas alguns dias. No entanto, todos sempre foram muito compreensivos, em razão de ser uma instituição sem fins lucrativos que se mantém com doações e repasses públicos, mas, a situação tomou uma proporção inadmissível, no qual a Associação passou desde dezembro/14 a efetuar o pagamento dos empregados com mais de 20 dias de atraso, chegando ao cúmulo de 33 dias de atraso o salário de janeiro e até agora os pagamentos das folhas de fevereiro e março ainda não foram efetuados. Muitos profissionais já passam dificuldades para prover o sustento da família e pagar as contas básicas como água e energia”, explica.

De acordo com os profissionais a Associação alega que os salários ainda não foram pagos devido a atraso de repasse de verbas da prefeitura municipal e problemas na conta bancária da instituição.

Jornal Midiamax