Cotidiano

Com estoque em baixa, Hemonúcleo da Santa Casa passa a atender só emergências

Das 150 bolsas de O+ necessárias para atender demanda, hospital tem apenas 10

Thatiana Melo Publicado em 07/01/2015, às 11h20

None
doacao_sangue.jpg

Das 150 bolsas de O+ necessárias para atender demanda, hospital tem apenas 10

Com um estoque de apenas 10 bolsas de sangue tipo O+, o Hemonúcleo da Santa Casa de Campo Grande só está atendendo emergências. O ideal para atender a população seria de mais ou menos 150 bolsas por dia, mas, com a queda no número de doações cada dia mais, os estoques do centro não aumentam.

“A situação é preocupante, porque os estoques estão mais baixos que o normal. Este ano caiu muito em relação aos anos anteriores”, explica a técnica de enfermagem Eva Ferreira, que trabalha no Hemonúcleo do maior hospital do Estado.

O período pós-festas e férias são agravantes, segundo a técnica de enfermagem, que diz estar sendo atípica a situação deste ano. Outro agravante que fez com que as doações diminuíssem foi a reforma do prédio do Hemosul. Agora, com a possível falta de todas as tipagens sanguíneas, o centro pede para que a população compareça e faça doações.

As doações podem ser feitas na Santa Casa nos horários de 7h às 17 horas de segunda a sexta e aos sábados das 7h às 11h30. Já no Hospital Regional as doações só podem ser feitas de segunda a sexta das 7h às 17 horas e no Hospital Universitário das 7h às 12 horas.

Para doar a pessoa precisa estar bem alimentada, pesar mais de 55 quilos, ter entre 18 e 67 anos de idade e não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas.

Jornal Midiamax