Cotidiano

Com boatos de fechamento, Prefeitura anuncia destino do Cempe na sexta

Funcionários dizem que fechamento já é certo

Wendy Tonhati Publicado em 07/10/2015, às 12h18

None
centro_pediatrico_-_diogo_1_1.jpg

Funcionários dizem que fechamento já é certo

Os funcionários do Cempe (Centro Municipal de Pediátrico), que desde o dia 29 de maio passou a ser chamado de PAI (Pronto Atendimento Infantil), continuam temendo o fechamento da unidade. Após a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) negar o encerramento das atividades e falar em reestruturação, a Prefeitura informou nesta quarta-feira (7), que o destino do local pode ser anunciado na sexta-feira (9).

De acordo com a Prefeitura, o futuro do Cempe ainda não está definido. A equipe da Sesau está finalizando análise e deve anunciar o que será feito ainda na sexta, porém a data ainda não está confirmada. O assessoria do executivo municipal informou ainda que “seja qual for a decisão, estará embasada juridicamente e será feita pelo bem da população, ou seja, a decisão será a melhor para as pessoas”.

Um funcionário do Cempe relatou ao Jornal Midiamax nesta quarta-feira (7) que o fechamento será no sábado (9). “Sábado estamos sendo remanejados para outras unidades”. O servidor disse ainda que os funcionários estão sendo feitos de fantoche e sendo informados por telefone sobre o que está acontecendo e com relação às opções para qual unidade poderão ir. 

Desde o começo deste mês, diversos funcionários procuraram o Jornal Midiamax para informar que todos tiveram gratificações cortadas e que o centro pediátrico será fechado em breve. Segundo as denúncias teria até acontecido uma reunião na Sesau informando sobre o fim do hospital e revelando que os funcionários seriam redistribuídos na rede pública de saúde.

Na data, o secretário municipal de saúde Ivandro Fonseca negou que o centro pediátrico será fechado e disse que seria reestruturado. “Estamos seguindo recomendação do Ministério Público Estadual, que constatou diversas irregularidades neste hospital, como salários que não estão em conformidade com o restante da rede pública de saúde. Encontramos salários de médicos em que a diferença era de 200% com a de profissionais de outra unidade de saúde”.

A unidade foi aberta em outubro de 2014 de forma a centralizar os atendimentos na área de pediatria. Desde de sua abertura, o PAI recebeu várias críticas do Conselho Municipal de Saúde, que chegou a pedir o fechamento do local, no dia 24 de junho, alegando irregularidades em sua criação.

Em setembro, o MPE (Ministério Público Estadual) abriu ação civil de improbidade administrativa no TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) contra o ex-prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), por conta de irregularidades na criação do local.

Jornal Midiamax