Cotidiano

Câmara deve criar comissão para acompanhar melhorias na BR-163

 Câmara deve criar comissão junto com deputados federais e senadores

Midiamax Publicado em 12/06/2015, às 23h33

None
unnamed.jpg

 Câmara deve criar comissão junto com deputados federais e senadores

Os vereadores da Câmara Municipal de Campo Grande devem criar uma comissão junto com os deputados federais e senadores do Estado para acompanhar e sugerir melhorias na duplicação da BR-163 que é concedida para a empresa CCR MSVia. Durante a audiência pública realizada nesta sexta-feira (12) o presidente da Casa, Mario Cesar (PMDB), sugeriu a criação de uma comissão.

“O resultado é que nós pudéssemos ir a Brasília com a bancada federal e a ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre)”.

Com base nas reclamações dos empresários que tem sede no anel-viário de Campo Grande que compreende a BR-163, o vereador ressaltou que não houve um estudo para analisar quais seriam o impacto de duplicação da rodovia dentro do perímetro urbano da Capital.

“Não teve a preocupação de se discutir antes de fazer o projeto para depois fazer a licitação e ganhar a concessão”.

Os empresários com sede no anel-viário se mostraram preocupados com o avanço da área urbana de Campo Grande em relação ao movimento da rodovia. A sugestão é que faça adequações no antes do projeto inicial ser concluído. “O Brasil é um país muito pobre para fazer coisa mal feita e gastar dinheiro”, declarou o representante da Plaenge Luiz Otávio Pinho.

Outro representante que se mostrou preocupado com a situação foi o do Shopping Bosque dos Ipês, de acordo com ele uma carreta já chegou a cair entro do estacionamento do shopping. “Aquele área precisa de um investimento duradouro, é uma região que está crescendo e já na Avenida Cônsul Assaf Trad começa ficar ruim o tráfego”.

Para os empresários a maneira como será feito o acesso dos caminhões e carretas nas empresas e na rodovia está causando um transtorno ainda maior, muitos reclamaram que não têm acesso ao projeto.

O engenheiro da ANTT, Cálicles Mânica, explicou que a discussão da concessão foi feita de maneira pública. “A concessão foi discutida em Brasília, com os representantes federais e audiências públicas foram feitas. O contrato pode ser ampliado e se precisar ampliado pode ter um custo. A ANTT está aberta para toda bancada de MS, a rodovia não pode separar Campo Grande”.

Mânica explicou que a ANTT fez um projeto básico e quem vai desenvolver um projeto executivo é a CCR MSVia, que antes de ser executado deve ser apresentado e receber o aval da Prefeitura Municipal de Campo Grade. 

Jornal Midiamax