Cotidiano

Agereg descarta reduzir tarifa do transporte coletivo, afirma vereador

Segundo a Agência, o reajuste só poderá ser feito 12 meses a partir da fixação da tarifa em vigor

Kemila Pellin Publicado em 09/07/2015, às 20h52

None
onibus_campo-grande.jpg

Segundo a Agência, o reajuste só poderá ser feito 12 meses a partir da fixação da tarifa em vigor

A Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Campo Grande (Agereg) descartou uma redução imediata na tarifa do transporte coletivo na Capital.

Conforme ofício enviado ao vereador Eduardo Romero (PT do B) , a Agereg afirma que a discussão só pode ocorrer 12 meses a partir da fixação da tarifa em vigor,ou seja, dezembro. 

Romero ainda rebateu a justificativa dando como exemplo a isenção de PIS e COFINS por parte do Governo Federal em maio de 2013, que derrubou R$0,10 (dez centavos de real) em julho do mesmo ano e isenção do imposto municipal ISSQN em novembro de 2013 para as empresas que resultou na redução de mais R$0,005 (cinco centavos de real) no valor da passagem no mesmo ano.

A Agere também destacou que para o calcular o preço da tarifa são considerados, além da variação percentual do preço do combustível, outros insumos como a variação percentual do salário do motorista; variação percentual do INPC; variação percentual do índice de veículos automotores, reboques e autopeças; variação percentual do índice de Passageiros por Quilômetro Equivalente.

Jornal Midiamax