Cotidiano

Acordo com médicos é descumprido e Prefeitura tenta reverter situação

Sesau teve de fazer folha de pagamento complementar

Midiamax Publicado em 06/07/2015, às 14h29

None
valdir_shiroma_foto_diogo_goncalves.jpg

Sesau teve de fazer folha de pagamento complementar

O descumprimento do acordo firmado entre a Prefeitura e o SinMed-MS (Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul), a fim de encerrar à greve iniciada pelos médicos em maio deste ano e encerrada no dia 1º de junho, desagradou muitos profissionais que chegaram a mencionar a possibilidade de uma nova paralisação. Para amenizar a situação, o chefe da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública), Jamal Salem, precisou fazer uma folha de pagamento complementar nesta segunda-feira (6).

Conforme o acordo, firmado entre o presidente do Sindicato, Valdir Shigueiro Siroma, o chefe da Sesau, o secretário da Semad (Secretaria Municipal de Administração), Wilson do Prado e pelo procurador-geral do Município, Fabio Leandro, o pagamento das gratificações seria retomado a partir do dia 1º de junho, o que não foi cumprido pelo Município.

Nesta manhã, o presidente do Sindicato se reuniu com o secretário da Sesau para corrigir o problema. Questionado sobre a possibilidade de uma nova paralisação, Siroma descartou a hipótese, no entanto, admitiu que houve descumprimento do acordo.

“Eles estão fazendo uma folha complementar para definir o pagamento das gratificações. Disseram que não tiveram tempo hábil”, declarou.  A greve dos médicos terminou no dia 1º de junho e durou aproximadamente um mês.

Além de manter as gratificações, o acordo também prevê o perdão da multa o pagamento dos dias parados; pagamento dos valores referentes às gratificações que não foram pagas, em seis vezes; manutenção das escalas de trabalho e o estudo para a aplicação de reajuste.

Jornal Midiamax