O presidente Luiz Inácio da Silva marcou uma diferença com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, nesta sexta-feira, 3 A fala vem exatamente uma semana depois de o chefe do governo ter descartado a meta de déficit zero para 2024, que Haddad prega há meses.

“Para quem está na Fazenda, bom é dinheiro no Tesouro. Mas, para quem está na Presidência, dinheiro bom é dinheiro transformado em obras”, declarou o presidente da República.

Lula deu as declarações na abertura de reunião com os ministros da área de de seu governo. Haddad também está presente, assim como os ministros Rui Costa (Casa Civil) e Paulo Pimenta (Secom) e o vice-presidente Geraldo Alckmin, que também é o titular do MDIC.

“Uma coisa importante, por isso que o companheiro Haddad está nessa mesa aqui. Além de ser o nosso libertador de dinheiro, o cara que põe dinheiro na mão dos ministérios, ele tem uma coisa muito importante que é o seguinte: a gente não pode deixar sobrar dinheiro que está previsto ser investido nos ministérios”, declarou Lula.

O presidente voltou a dizer que o trabalho dos ministros já está delimitado e que o foco deve ser execução, não a criação de novos programas.

“Todo mundo já tem o compromisso, ninguém precisa inventar nada novo nesse país. Está tudo determinado, tudo determinado, a gente vai fazer as obras, tem até 2026”, afirmou Lula.

O presidente ainda realizará reuniões com ministros de outras áreas até o fim do ano e, possivelmente, fará uma reunião geral com todos os integrantes do primeiro escalão. Seria um encontro para um balanço das ações do primeiro ano de governo.

“Toda e qualquer falha que a gente tenha percebido nesse primeiro ano não poderá se repetir no segundo ano”, afirmou Lula

“Se os ministérios forem bem, o Brasil vai bem, o governo vai bem e eu e o Alckmin vamos bem. Se vocês não fizerem direito, o Brasil vai mal e eu e o Alckmin vamos mal. Então, nós queremos que vocês sejam os melhores ministros desse país, os melhores executores desse país, os melhores gastadores do dinheiro em obras de interesse do povo brasileiro”, disse Lula.

Saiba Mais