O pai da jovem de 20 anos que morreu após levar um tapa se apresentou à Delegacia de Cajazeiras, na Paraíba, foi ouvido e liberado em seguida. O homem depôs que empurrou a filha durante uma briga, mas não disse lembrar se ela caiu ou bateu a cabeça. 

O depoimento ocorreu na quarta-feira (20). A jovem Michelle Macena de Andrade Nascimento morreu no no sábado (20), com suspeita de traumatismo craniano. Ela teve uma hemorragia e morreu um dia após a agressão.

Apesar de ter sido liberado, o caso ainda está sob investigação. Conforme o delegado Ilamilto Simplício, a Polícia Civil ainda vai ouvir mais familiares da vítima, além de aguardar o exame cadavérico. 

O pai de Michelle negou ter dado um soco nela. Conforme os autos da Polícia paraibana, ele disse que empurrou a jovem na região da cabeça com o punho fechado. O momento de raiva ocorrem durante uma discussão entre ela e o irmão de nove anos. 

Segundo o homem, a relação com a filha era “normal”. No entanto, uma prima de Michelle contou em depoimento que a parente sempre relatou problemas de relacionamento. 

Entenda o caso

Na discussão, que ocorreu na casa da família no município de Uiraúna, Michelle teria caído com o tapa e batido com força a cabeça no chão ou na parede. Com o impacto, ela teve traumatismo craniano. A agressão aconteceu na sexta-feira (19) e a morte foi confirmada no dia seguinte.

Segundo a Polícia Civil, a jovem realizava uma faxina em casa quando o irmão chegou e sujou um fogão que ela havia acabado de limpar.

Eles, então, começaram uma discussão. Logo depois, o pai teria chegado e resolveu intervir na briga. O homem teria, então, batido com violência no rosto da filha, provocando os fatos que levaram à morte dela. A Certidão de Óbito da jovem consta como causa da morte uma hemorragia intracraniana.