Moro fala da relação com SP e reclama de ação sobre domicílio eleitoral: 'É sério isso?'

Na publicação, ele alega que a "todo momento surge um fato novo" para minar uma possível candidatura
| 17/05/2022
- 14:30
Sérgio Moro
Sérgio Moro - Divulgação

O ex-juiz divulgou um vídeo nesta terça-feira, 17, em que contesta a investigação movida pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP) para avaliar se ele cometeu fraude ao mudar seu domicílio eleitoral do para São Paulo, em abril. Na publicação, ele alega que a "todo momento surge um fato novo" para minar uma possível candidatura.

"É sério que essa é a discussão quando tem condenado em três instâncias solto por aí posando de salvador da pátria?", pergunta em alusão à pré-candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O petista teve os seus processos na Lava Jato anulados no ano passado, após o Supremo Tribunal Federal (STF) decidir que Moro foi parcial na condução das ações

No vídeo, Moro usou um discurso eleitoral para justificar a relação com São Paulo. Como exemplo, ele diz que, quando ministro da Justiça, transferiu os "criminosos mais perigosos" do Estado de presídios estaduais para federais, a fim de coibir crimes. "Foi game over para as lideranças do PCC, que enfraqueceu essa operação e protegeu a população paulista. Isso é só uma amostra do que podemos fazer por esse Estado", disse.

Ação

Segundo o despacho do MP, que requer investigação da Polícia Federal, "o vínculo residencial, social e afetivo" de Moro e de sua mulher, Rosângela Moro, também alvo da ação, seria Curitiba, onde o ex-juiz ficou conhecido pelo julgamento dos processos da Operação Lava Jato.

O promotor Reynaldo Mapelli Júnior disse que as primeiras explicações enviadas pelo casal "não convencem" e que é preciso aprofundar a investigação "para melhor compreensão dos fatos".

Moro terá que prestar depoimento à Polícia Federal para justificar a troca, que teria acontecido com o objetivo de concorrer a um cargo ao Legislativo em São Paulo. Em nota publicada ontem no Twitter, ele afirmou que apresentaria as informações à polícia.

Veja também

No total, o Brasil tem 672.101 vítimas e 32.536.302 casos da doença

Últimas notícias