O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), deve começar a definir os nomes à frente dos Ministérios após sua viagem para o Egito, que ocorre no próximo dia 19 de novembro, onde participa da COP-27. Sem adiantar nomes, Lula afirmou ainda não ter pensado no assunto.

Lula fez a declaração durante coletiva realizada nesta quarta-feira (9), após uma série de reuniões com chefes de poderes em Brasília.

Os encontros fazem parte da fase inicial do governo de transição.

O presidente eleito se reuniu com os presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) ainda na parte da manhã. O vice-presidente eleito Geraldo Alckmin também participou.

Logo depois, no período da tarde, Lula se encontrou com a presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Rosa Weber, e o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Alexandre de Moraes.

Após os encontros, Lula concedeu entrevista evitando falar sobre polarização e o atual presidente, Jair Bolsonaro (PL). “Não há tempo para vingança”, resumiu.

Além disso, o presidente eleito evitou adiantar nomes que deverão compor seu quadro de ministros.

“Estou mais preocupado que vocês com a definição para os Ministérios. Não estou pensando em ninguém, quando eu voltar [do Egito] vou escolher o ministério”, afirmou.

Por fim, Lula falou brevemente sobre o otimismo em relação a aprovação da chamada PEC da Transição e afirmou ter percebido disposição de Lira e Pacheco.

“Acho que vamos conseguir porque há disposição das pessoas para aprovar. É um projeto para recuperar a capacidade de investimento. Para recuperar as necessidades do povo brasileiro”, finalizou.