Brasil

Com suspeita de nova obstrução intestinal, Bolsonaro passa por exames em SP

Médico que trata o presidente desde 2018 deve chegar à capital paulista na tarde desta segunda-feira

Renata Volpe Publicado em 03/01/2022, às 07h37

Bolsonaro está com suspeita de nova obstrução intestinal
Bolsonaro está com suspeita de nova obstrução intestinal - Alan Santos, PR

O presidente da República Jair Bolsonaro (PL) deve fazer exames no hospital Vila Nova Star, na zona sul de São Paulo, para saber se está com nova obstrução intestinal. Ele que tirou alguns dias de férias em Santa Catarina, chegou à capital paulista durante a madrugada desta segunda-feira (3).

De acordo com reportagem do UOL, a informação da realização de novos exames foi confirmada pelo médico-cirurgião Antônio Luiz Macedo, que operou Bolsonaro após a facada que levou no abdome, em setembro de 2018, e acompanha o quadro do presidente. 

Macedo está em viagem nas Bahamas, mas afirmou estar a caminho de São Paulo para tratar Bolsonaro. O presidente, diz o médico, está sob tutela de sua equipe e, como o quadro ainda é investigado, não se sabe se uma cirurgia será necessária. 

Ainda conforme o UOL, a suspeita é de uma nova obstrução intestinal — tecnicamente chamada de "suboclusão intestinal", segundo o médico. "Ele fará tomografia e mais exames para sabermos o que há no abdômen. Ainda não sabemos, mas pode ser causado, por exemplo, por um alimento mal mastigado, entre outros fatores", disse Macedo.

No ano passado, em julho, o presidente ficou quatro dias internado no hospital Vila Nova Star para tratar justamente de uma obstrução intestinal. À época, os médicos cogitaram uma intervenção cirúrgica, que foi descartada depois que o intestino do presidente voltou a funcionar normalmente. 

A aeronave da FAB (Força Aérea Brasileira), que levava Bolsonaro de Santa Catarina, pousou no aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, no começo da madrugada desta segunda-feira. De lá, a comitiva presidencial seguiu para o hospital Vila Nova Star. 

O presidente foi criticado por viajar de folga para Santa Catarina, enquanto o estado da Bahia enfrenta as consequências das fortes chuvas que atingiram o estado nos últimos dias de dezembro: até o presente momento, foram registradas 25 mortes e 151 cidades estão em situação de emergência.

Jornal Midiamax