Brasil

Valor da bandeira vermelha nas contas de energia deve subir mais de 60% em julho

A medida pretende reverter a crise nos reservatórios das hidrelétricas

Gabriel Neves Publicado em 21/06/2021, às 07h14

Imagem ilustrativa.
Imagem ilustrativa. - (Foto: Reprodução/Agência Brasil)

O valor cobrado pela energia na bandeira vermelha 2, o patamar mais alto desse sistema, deve subir mais de 60% conforme fontes de dentro da Aneel (Agência Nacional de Energia). As informações são do jornal O Globo.

A Aneel deverá aumentar os valores das bandeiras tarifárias, uma taxa extra que é acionada quando o custo da geração de energia sobe, o que está acontecendo neste ano devido à crise nos reservatórios das hidrelétricas.

Hoje, é cobrado R$ 1,34 a cada cem quilowatts-hora (kWh) consumidos na bandeira amarela; R$ 4,16 na bandeira vermelha 1; e R$ 6,24 na vermelha 2. Na bandeira verde não há cobrança adicional.

Os custos ainda estão sendo calculados e os novos valores devem ser anunciados ainda em junho, passando a valer em julho. Pelos cálculos conduzidos pela Aneel, o novo valor da bandeira vermelha 2 deve ser de cerca de R$ 10,00.

De acordo com analistas, o aumento, caso ocorra, ainda não será o suficiente para que bandeira vermelha consiga dar conta de cobrir os custos extras decorrentes da geração de energia por termelétricas. Para eles o valor deveria ser R$ 12,00.

Essa bandeira deve vigorar pelo menos até novembro, quando tem início o período úmido.

Jornal Midiamax