Brasil

Sesau consulta Ministério da Saúde para tentar incluir motoristas em vacinação contra covid

Inclusão dos profissionais em São Paulo traz esperança para motoristas de Campo Grande

Gabriel Neves Publicado em 20/04/2021, às 08h52

Motoristas realizaram protesto pedindo pela inclusão no grupo de vacinação.
Motoristas realizaram protesto pedindo pela inclusão no grupo de vacinação. - (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax)

Após protestos e ameaças de greve do STTCU (Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Coletivo Urbano de Campo Grande), a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) enviou uma notificação ao Ministério da Saúde pedindo a inclusão dos trabalhadores do transporte coletivo de Campo Grande nos grupos preferenciais de vacinação contra a covid-19.

A notificação foi enviada após uma reunião realizada na última quinta-feira (15), mesma semana em que os motoristas do transporte coletivo da Capital realizaram um protesto com faixas no braço pedindo pela vacinação. Sem respostas, ainda na mesma semana, o sindicato não descartava a realização de uma greve.

“Depois da reunião, ficamos esperançosos, ainda mais agora que os motoristas de São Paulo também conseguiram entrar nos grupos prioritários”, disse o diretor-financeiro do STTCU, William Alves. Segundo ele, o imunizante será aplicado em todos os trabalhadores da linha de rente, que incluem motoristas, atendente dos terminais e funcionários que atuam no atendimento direto ao público.

Segundo Alves, estavam presentes na reunião o secretário municipal e Saúde, José Mauro Filho, o diretor-presidente da Agetran, Janine de Lima Bruno e vereadores.

“Eles nos disseram que a prefeitura deseja incluir os funcionários do transporte coletivo entre os grupos prioritários, mas não podem, pois, as doses chegam pré-definidas pelo Governo Federal”, disse o diretor-financeiro do STTCU.

A promessa é que a prefeitura e a classe tenham uma resposta em 15 dias, que começou a contar desde a última quinta-feira (15) e termina no final do mês, no dia 30 de abril.

Jornal Midiamax