Brasil

RJ: Crianças desaparecidas foram mortas por traficantes por roubo de passarinhos

Um dos envolvidos na morte foi executado como queima de arquivo

Renata Barros Publicado em 10/09/2021, às 11h40

Crianças desapareceram em dezembro de 2020
Crianças desapareceram em dezembro de 2020 - Foto: Reprodução

Após oito meses de investigação, o secretário de Polícia Civil do Rio de Janeiro, Allan Turnowski, anunciou nesta quinta-feira (9) que o tráfico de drogas da favela Castelar foi responsável pelo assassinato dos três meninos desaparecidos em dezembro do ano passado em Belford Roxo. O motivo da morte teria sido o roubo de passarinhos que pertenciam a traficantes do local.

Segundo o secretário, depois do crime, o líder local foi chamado ao Complexo da Penha, onde foi assassinado por lideranças do Comando Vermelho como queima de arquivo. Em entrevista à TV Globo, Turnowski disse que o traficante pediu autorização para punir os meninos a líderes da facção criminosa, que estavam na prisão. A punição foi liberada, mas as lideranças não sabiam que os autores do furto dos passarinhos eram crianças.

O caso

No dia 27 de dezembro do ano passado, os amigos Lucas Matheus da Silva, 9 anos, Alexandre da Silva, 11 anos, e Fernando Henrique Soares, 12 anos, saíram de casa para brincar em um campo de futebol próximo, na comunidade de Castelar. No entanto, eles não voltaram mais. O trio foi filmado pela última vez às 13h39 daquele dia, andando em direção à feira de Areia Branca, a aproximadamente 2,7 km.

A polícia chegou à conclusão de que os corpos das crianças foram jogados em um rio. "Temos esperança de encontrar, mas não é tarefa fácil", disse o secretário. O inquérito sobre o caso ainda está sendo finalizado.

Jornal Midiamax