Brasil

Réu do caso Boate Kiss passa mal antes do julgamento

De acordo com a denúncia do Ministério Público, Luciano Bonilha Leão comprou e ativou artifício que deu início a fogo

Maria Eduarda Fernandes Publicado em 01/12/2021, às 14h23

Luciano Bonilha Leão, ex-produtor da banda Gurizada Fandangueira, chegou ao Foro Central acompanhado pelos advogados e não falou com a imprensa
Luciano Bonilha Leão, ex-produtor da banda Gurizada Fandangueira, chegou ao Foro Central acompanhado pelos advogados e não falou com a imprensa - Divulgação

O julgamento do caso da Boate Kiss começou na manhã desta quarta-feira (1º). Luciano Bonilha Leão, ex-produtor de palco da banda Gurizada Fandangueira, foi um dos primeiros entre os quatro réus a chegar ao Foro Central de Porto Alegre.

Acompanhado dos advogados, Luciano não falou com a imprensa e ao chegar à porta do prédio exclamou: ''Eu não sou assassino''.

Com um pico de pressão alta em seguida, o acusado precisou ser levado à sala onde é prestado atendimento médico. Ele foi atendido, e na sequência liberado para ir ao plenário, onde a sessão está sendo realizada.

Os réus

Quatro homens irão a julgamento no caso Kiss. 

- Elissandro Callegaro Spohr (Kiko), sócio da Kiss. Sua defesa será feita pelos advogados Jader Marques e Leonardo Sagrillo Santiago
Mauro Londero Hoffmann, sócio da Kiss. Sua defesa será feita pelos advogados Mario Luis Lirio Cipriani, Bruno Seligman de Menezes, Adriano Farias Puerari e Diego da Rosa Garcia.

- Marcelo de Jesus dos Santos, vocalista da banda Gurizada Fandangueira. Sua defesa será feita pela advogada Tatiana Vizzotto Borsa.

- Luciano Bonilha Leão, produtor de palco da banda Gurizada Fandangueira. Sua defesa será feita pelos advogados Jean de Menezes Severo, Gustavo da Costa Nagelstein, Tomás Antônio Gonzaga, Filipe Decio Trelles e Martin Mustschall Gross.

Acusação

Os réus respondem por homicídio simples, com dolo eventual, quando se assume o risco de matar, contabilizados da seguinte forma: 242 vezes consumado, proporcional ao número de mortes, e 636 tentativas, em referência ao quantitativo de feridos.

Jornal Midiamax