Brasil

Policiais encontram vela com nome de Lázaro durante buscas em Goiás

Objeto remete a ritual do criminoso foragido há 10 dias

Renata Fontoura Publicado em 18/06/2021, às 11h15

Homem é acusado por cachina de duas famílias na região de Goiás e DF
Homem é acusado por cachina de duas famílias na região de Goiás e DF - Reprodução | Polícia Civil

Em 10 dias de buscas pelo assassino Lázaro Barbosa de Sousa, de 32 anos, policiais encontraram oferendas e velas em uma mata na região de Edilândia e Cocalzinho, em Goiás.

Conforme reportagem do jornal O Globo, alguns dos objetos estavam acompanhados de pedaços de papel com seu nome completo escrito. As suspeitas são de que o próprio criminoso tenha realizado rituais para pedir proteção espiritual.

Durante uma coletiva realizada na última terça-feira (15), o secretário de segurança pública de Goiás, Rodney Miranda, afirmou que no mesmo dia uma equipe de policiais se deparou com Lázaro em uma área de milharal, quando se iniciou uma troca de tiros. No local, os agentes encontraram uma das velas.

"Nesse local do milharal tinha um despacho com o nome dele, mas com uma vela dessas mais grossas de sete dias já queimada pela metade. A gente não sabe nem se foi ele que fez, mas ele estava ali", alegou Miranda. 

Vela foi encontrada durante buscas em mata
Reprodução | Polícia Civil 

Até o momento, o criminoso, apontado como autor de uma chacina, conseguiu driblar cerca de 300 policiais que o perseguem numa região de mata em Cocalzinho.

Durante todos esses dias, Lázaro trocou tiros com agentes, fez reféns e invadiu casas, fazendas e chácaras. Para conseguir escapar, o criminoso usa a mata fechada e grotas — cavidades provocadas por água de rios e cachoeiras — que conhece bem por ser mateiro e caçador.

A caçada a Lázaro começou depois de ele matar quatro pessoas de uma mesma família em Ceilândia Norte, no Distrito Federal, no dia 9 de junho. Ele também invadiu a chácara de Cláudio Vidal, de 48 anos, e assassinou ele e seus filhos, Carlos Eduardo, de 21, e Gustavo, de 15. Na fuga, o criminoso sequestrou Cleonice Vidal, de 43 anos, mulher de Cláudio. Ela foi encontrada morta no dia 12.

A todo momento, a polícia recebe ligações de pessoas que afirmam terem visto Lázaro. Muitas pessoas que moram na região rural de Cocalzinho deixaram suas casas — algumas são invadidas pelo suspeito, que aproveita para se alimentar.

Jornal Midiamax