O STF precisa decidir, ainda, os rumos do orçamento secreto, que se tornou um dos principais instrumentos de barganha usado pelo Planalto para sustentação do governo no Congresso. Caso seja levada a plenário, a manobra com emendas de relator tende a servir de munição contra Bolsonaro na corrida presidencial. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.