Brasil

Guedes nega saída do Mercosul, mas diz que Brasil quer modernizar o bloco

"Não está funcionando como deveria", disse o ministro da Economia

Estadão Conteúdo Publicado em 27/05/2021, às 11h08

Guedes avaliou que o carro elétrico ou movido a hidrogênio é uma ameaça à indústria automobilística tradicional
Guedes avaliou que o carro elétrico ou movido a hidrogênio é uma ameaça à indústria automobilística tradicional - (Foto: Reprodução)

O ministro da Economia, Paulo Guedes, repetiu nesta quinta-feira (26) que o governo brasileiro não quer deixar o Mercosul, mas sim modernizar o bloco. "Nós não vamos sair do Mercosul. Queremos continuar a integração, mas não está funcionando como deveria. Queremos fazer a modernização do Mercosul", afirmou, em participação em evento realizado pela Coalizão Indústria.

Guedes avaliou que o carro elétrico ou movido a hidrogênio é uma ameaça à indústria automobilística tradicional, citando o crescimento da Tesla. "O setor está sendo apertado no mundo inteiro. A Ford deixou o Brasil não por causa do governo, mas porque está em dificuldades no mundo todo", completou.

Para o ministro, a indústria automotiva brasileira já foi um grande foco de crescimento, acabou encurralada.

Segundo ele, montadoras deixam o Brasil por questões estruturais "Gradualmente a indústria automotiva no Brasil foi se enrijecendo e se limitou à nossa vizinhança, que é importante. Mas nós é que tínhamos que vender automóvel para a Coreia. Começamos a produzir antes deles", acrescentou.

Guedes lembrou que a situação da pandemia na América Latina atualmente impede a negociação de novos acordos automotivos. "Se fomos procurar a Argentina agora para falar disso, nem seremos recebidos", concluiu.

Jornal Midiamax