Brasil

Gasto com cartão corporativo chega em R$204, 8 milhões, o maior desde o governo Temer

A maior parcela corresponde à presidência que utilizou 35,5% do valor

Maria Eduarda Fernandes Publicado em 22/10/2021, às 10h01

O gasto já é 19,9% superior ao de 2020
O gasto já é 19,9% superior ao de 2020 - Divulgação

A coluna do jornal Metrópoles apurou com base do Portal da transparência que até setembro desse ano, o governo Bolsonaro gastou R$ 204,8 milhões com cartões corporativos. O valor é 19,9% maior do que o registrado em todo o ano de 2020, que totalizou R$ 170,7 milhões. Este foi o maior valor registrado desde 2018 no último Governo do Michel Temer (MDB), quando chegou a R$244,8 milhões.

O que chama atenção é que de 2020 até hoje, o número de pessoas que possuem o cartão corporativo caiu em 18,6%. Dos 4.485 cartões, restaram apenas 3.547.

"Em um país cuja economia se parece com um carro desgovernado, saber que os gastos aumentaram mesmo com menos cartões corporativos disponíveis é algo que chega a causar espanto", disse Lúcio Big, diretor-presidente do Instituto Observatório Político e Socioambiental (OPS), ao Metrópoles.

Dos R$204,8 milhões, a maior parcela corresponde à presidência que utilizou 35,5% do valor. O ministério da Justiça e da Segurança Pública entram em segundo lugar com 26,7% e por último o Ministério da Economia com 10%.

O cartão corporativo que é uma espécie de cartão de crédito usado pelos membros do governo, deve ser utilizado para custeios e pagamentos de despesas realizadas com coisas como compra de material e prestação de serviços.

Jornal Midiamax